União Europeia Economista-chefe do Banco de Inglaterra admite erros de cálculo do impacto do Brexit

Economista-chefe do Banco de Inglaterra admite erros de cálculo do impacto do Brexit

Os economistas não conseguiram antecipar o colapso financeiro que se seguiu à falência do Lehman Brothers, nem o impacto do Brexit. O economista-chefe do Banco de Inglaterra diz que os economistas precisam de se adaptar aos novos tempos.
Economista-chefe do Banco de Inglaterra admite erros de cálculo do impacto do Brexit
Neil Hall/Reuters
Negócios 06 de janeiro de 2017 às 12:41

O economista-chefe do Banco de Inglaterra, Andrew Haldane, considera que a sua profissão está em risco. Em causa está o facto de os economistas não terem conseguido antecipar a crise financeira de 2008, nem percepcionar o real impacto do Brexit.

 

Andrew Haldane refere, citado pelo The Guardian, uma série de eventos que ocorreram nos últimos anos e que não foram antecipados devidamente pelos economistas.

 

O economistas-chefe do Banco de Inglaterra relaciona estas falhas com o facto de os modelos económicos não conseguirem antecipar "comportamentos irracionais" na era moderna.

 

Dito isto, o responsável realça a necessidade dos economistas adaptarem-se aos tempos actuais para conseguirem recuperar a confiança da população e das forças políticas.

 

Andrew Haldane especificou: o colapso do Lehman Brothers foi um "momento Michael Fish", usando como referência o meteorologista da BBC que, em 1987, disse que o Reino Unido iria conseguir escapar a um furacão, que acabou por atingir o sul de Inglaterra, provocando estragos avultados. O economista disse que desde então foi feito um caminho muito importante por parte dos meteorologistas, que permitiu que estes conseguissem responder melhor à actual evolvente. E que é isso que tem de ser feito pelos economistas.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Daniel 06.01.2017

Ele na intervenção que deu diz que a economia UK floresce (só se não tivermos em conta a desvalorização da libra e consequente quebra de poder de compra), no entanto ninguém acredita realmente que o Brexit irá ocorrer... é esperar até ao Article 50 ser acionado e aí veremos novamente...

pub
pub
pub
pub