Zona Euro Economistas estão mais optimistas para a Zona Euro: 2017 será o melhor ano numa década

Economistas estão mais optimistas para a Zona Euro: 2017 será o melhor ano numa década

Os economistas consultados pela Bloomberg estão mais optimistas quanto ao desempenho económico da Zona Euro. Estimam que a área do euro registe este ano o ritmo de expansão mais rápido desde 2007.
Economistas estão mais optimistas para a Zona Euro: 2017 será o melhor ano numa década
Reuters

Os economistas estão mais optimistas no que diz respeito ao desempenho económico da área da união monetária. Uma sondagem realizada pela Bloomberg indica que os economistas estimam agora que o produto interno bruto (PIB) da Zona Euro cresça 2,1% este ano, mais 0,1 pontos percentuais face ao último inquérito, realizado em Agosto.

A última vez que a Zona Euro, como um todo, expandiu 2,1% foi em 2010. Contudo, o ano de 2007 marca o último em que o ritmo de expansão foi tão célere. Ou seja, a última vez que os países da união monetária cresceram a um ritmo tão rápido foi antes da crise financeira mundial.

Esta previsão está próxima da estimativa do Banco Central Europeu. Após o último encontro da autoridade monetária, realizado a 7 de Setembro, o BCE indicou que reviu em alta as suas estimativas e antecipa agora uma expansão económica de 2,2% para este ano na área do euro.

Relativamente às previsões para o próximo ano, houve também uma revisão em alta na avaliação realizada este mês. Os economistas antecipam que a economia cresça 1,8%. Em Agosto, previam um crescimento económico de 1,5% em 2018. E em 2019, o crescimento económico, prevêem, será de 1,5%, o ritmo mais lento desde 2014.

A instituição liderada por Mario Draghi acredita que a economia do euro avance 1,8% e 1,7% em 2018 e 2019, respectivamente.

Apesar do optimismo quanto à evolução do PIB, o sentimento dos economistas em torno da inflação não é tão positivo. O inquérito da Bloomberg indica que os especialistas antecipam que os preços no consumidor subam 1,1% no início do próximo ano, recuperando um pouco no final de 2018, atingindo os 1,6%. Em 2019, estimam, a inflação deverá alcançar os 1,7% aproximando-se assim do objectivo traçado pelo Banco Central Europeu, que é de uma inflação próxima de 2%.

As projecções do banco central para a inflação permaneceram de 1,5% para 2017, enquanto, para 2018, o BCE estima que o índice de preços do consumidor atinja 1,2%, o que compara com a previsão anterior de 1,5%.

A sondagem da Bloomberg inquiriu 58 economistas e foi realizada de 8 a 14 de Setembro.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 5 dias

GRAÇAS A PORTUGAL...!!!

pub
pub
pub
pub