Conjuntura Economistas mais optimistas sobre Portugal

Economistas mais optimistas sobre Portugal

São já vários os economistas que reviram as suas previsões para a economia nacional, sobretudo depois de ser conhecido que o PIB cresceu 2,8% no primeiro trimestre do ano. Conheça as principais alterações.
A carregar o vídeo ...
Negócios 05 de junho de 2017 às 13:38

A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

O maior processo de substituição de factor produtivo trabalho por factor produtivo capital da história da humanidade está-se a dar no mundo desenvolvido. Certos países podem, artificialmente, de modo fantasioso e inconsequente, atrasá-lo temporariamente a nível interno decretando aumentos salariais muito acima do preço de mercado e instituindo arranjos laborais intocáveis para toda a vida. A consequência disso será o aumento insuportável do endividamento excessivo e da carga tributária, que incidirão negativamente sobre o nível e qualidade de vida de toda ou uma grande parte da população adulta actual e futura, elevando o atraso e os níveis de iniquidade e insustentabilidade nesses países para patamares indecorosos dignos dos Estados falhados do chamado Terceiro Mundo.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

O PS faliu a República e pediu um resgate internacional ao FMI e à União Europeia. O PS foi responsável por tudo. Só não quer ser responsável pelas reformas que Portugal tem de fazer para evitar cair na mesma situação ruinosa porque essas reformas vão contra o programa sindicalista e de compadrio de inspiração bolivariana do PS que se opõe claramente à equidade e sustentabilidade como elas são definidas segundo os moldes e os preceitos das economias, culturas e sociedades mais avançadas.

Anónimo Há 2 semanas

O maior processo de substituição de factor produtivo trabalho por factor produtivo capital da história da humanidade está-se a dar no mundo desenvolvido. Certos países podem, artificialmente, de modo fantasioso e inconsequente, atrasá-lo temporariamente a nível interno decretando aumentos salariais muito acima do preço de mercado e instituindo arranjos laborais intocáveis para toda a vida. A consequência disso será o aumento insuportável do endividamento excessivo e da carga tributária, que incidirão negativamente sobre o nível e qualidade de vida de toda ou uma grande parte da população adulta actual e futura, elevando o atraso e os níveis de iniquidade e insustentabilidade nesses países para patamares indecorosos dignos dos Estados falhados do chamado Terceiro Mundo.

António Há 2 semanas

Então que baixem os impostos que são um absurdo, principalmente os indirectos "camuflados" e quero ver esses gurus virem de novo dar "papaias" para os média.
Que comecem pelo IVA a 23% e reponham o prometido a 13% na restauração e afins.
Se a Europa der um espirro, Portugal constipa-se.

pub
pub
pub
pub