Economia Eduardo Cabrita diz que Centeno "merece a admiração dos portugueses"

Eduardo Cabrita diz que Centeno "merece a admiração dos portugueses"

O ministro adjunto Eduardo Cabrita negou que o Conselho de Ministros de hoje tenha discutido a actuação de Marcelo na polémica das mensagens trocadas entre Centeno e Domingues. O que fez foi saudar "vivamente" o défice alcançado no ano passado.
Eduardo Cabrita diz que Centeno "merece a admiração dos portugueses"
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios com Lusa 16 de fevereiro de 2017 às 15:08
O ministro adjunto, Eduardo Cabrita, considerou hoje que o ministro das Finanças, Mário Centeno, "merece a admiração dos portugueses", estando "associado aos melhores resultados orçamentais de Portugal em democracia", pelos quais foi saudado vivamente pelo Conselho de Ministros.

"Não cabe ao Governo – nem o Conselho de Ministros discutiu – aquilo que é o exercício de competências próprias de outros órgãos de soberania, seja ele o senhor Presidente da República seja a Assembleia da República", respondeu Eduardo Cabrita aos jornalistas na conferência de imprensa do Conselho de Ministros, quando questionado sobre a actuação de Marcelo Rebelo de Sousa na polémica que envolve Mário Centeno e a antiga administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Na opinião do ministro adjunto, o titular da pasta das Finanças, "que está associado aos melhores resultados orçamentais de Portugal em democracia", merece "a solidariedade de todos, mas sobretudo merece a admiração dos portugueses".

"O Conselho de Ministros regozijou-se e saudou vivamente o senhor ministro das Finanças pelos notáveis resultados", revelou, referindo-se aos dados do crescimento económico – de 1,4% – e à execução orçamental de 2016, que deverá garantir um défice de 2,1%.

Para o governante, estes bons resultados devem-se "ao esforço de todos os portugueses, de toda a administração pública, mas certamente são mérito muito específico do ministro das Finanças e de toda a sua equipa".

 

Questionado sobre a comissão de inquérito da CGD, cujo presidente apresentou hoje a demissão, e a criação de uma eventual comissão dedicada exclusivamente à polémica entre Mário Centeno e o anterior presidente da CGD, Eduardo Cabrita respondeu que "essa matéria não foi abordada em Conselho de Ministros".

 

"Seria aliás muito estranho o Conselho de Ministros pronunciar-se sobre matérias que são da exclusiva competência da Assembleia da República", argumentou.

 

Interrogado sobre a preocupação do Governo com toda esta polémica que tem envolvido a CGD, Eduardo Cabrita afirmou que o executivo "está muito preocupado com a necessidade de garantir a solidez do maior banco português".

 

"E por isso o Governo adotou, em tempo adequado, as medidas necessárias para que seja possível realizar um processo de recapitalização que mereceu a confiança, a aprovação das instituições europeias e que garante que a Caixa continuará a ser um banco de referência em Portugal e um banco público", explicou.

 

O ministro Adjunto reiterou que o Governo se regozija "com o desempenho da economia portuguesa e com os resultados apurados em matéria de défice", estando certo de que, "num quadro de crescimento da economia, a Caixa poderá contribuir ainda mais ativamente, reforçando o seu papel de apoio a um bom funcionamento da economia nacional".


No programa "Sem Moderação", emitido esta quarta-feira à noite na TSF e no Canal Q, João Galamba disse que "o Presidente da República está profundamente implicado" na polémica que envolve o convite feito por Mário Centeno a António Domingues para este presidir à CGD. "O que ele tentou fazer, na segunda-feira, político hábil como é, foi tentar demarcar-se e desresponsabiliza-se de algo que é responsabilidade sua", declarou o porta-voz do PS.

Esta manhã, Assunção Cristas defendeu que Mário Centeno está muito fragilizado e disse que noutro país já se teria demitido.

A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado IS 16.02.2017

Este idiota optou por passar atestado de estupidez às pessoas minimamente informadas. Só pode!

comentários mais recentes
IS 20.02.2017

Este idiota optou por passar atestado de estupidez às pessoas minimamente informadas. Só pode!

Anónimo 16.02.2017

Falam do ministro das finanças e quando foi o vitor gaspar a fazer das sujas decisões não vi tamta trapalhada.

Anónimo 16.02.2017

Sempre é preciso dizer parvoíces, o PS e o Governo mandam este idiota...

Anónimo 16.02.2017

Oh Cabrita tu fazes dos Portugueses Burros!!!! Burro e Socrático és tu lambe botas!!
Mas que fez o Centeno para receber o NOBEL das finanças?? Aldrabices? Atrasar despesas, não investir....? Vai pró ...

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub