Emprego Emprego nos EUA decepciona em Agosto

Emprego nos EUA decepciona em Agosto

O número de postos de trabalho aumentou menos que o esperado, a taxa de desemprego subiu e os salários aumentaram abaixo das expectativas.
Emprego nos EUA decepciona em Agosto
Nuno Carregueiro 01 de setembro de 2017 às 13:52

O relatório do Departamento do Trabalho sobre a evolução do emprego nos Estados Unidos em Agosto não traz notícias muito animadoras, já que os principais indicadores ficaram todos abaixo do esperado.


Foram criados 156 mil empregos no mês passado, quando os economistas apontavam para 180 mil novos postos de trabalho. Além disso, o Departamento do Trabalho reviu em baixa os valores dos meses anteriores, reduzindo em 41 mil o número de empregos criados.

Quanto à taxa de desemprego, aumentou uma décima para 4,4%, quando os economistas estimavam que estabilizasse em 4,3%, o que corresponde ao nível mais elevado em 16 anos.

Além disso, os salários (medidos através da remuneração média por hora) aumentaram apenas 0,1% face a Julho, o que ficou abaixo do esperado (0,2%). Na variação homóloga (contra Agosto do ano passado) os salários cresceram 2,5%, o que também se situa abaixo do esperado. A subida de Julho foi revista em baixa de 0,3% para 0,1%.

Este dado tem sido seguido com particular atenção, uma vez que a recuperação económica dos EUA não está a reflectir-se em mais rendimentos para os norte-americanos, uma vez que os salários teimam em não subir. O que por sua vez representa um travão no consumo e na inflação.

Apesar desta evolução mais fraca do mercado de trabalho, os números de Agosto não deverão alterar o plano da Reserva Federal de começar a reduzir o balanço e subir as taxas de juro.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub