Zona Euro Empresários alemães "eufóricos": confiança em novo máximo

Empresários alemães "eufóricos": confiança em novo máximo

O mês de Julho renova o máximo histórico na confiança dos empresários da maior economia europeia. A avaliação que as empresas fazem da sua situação actual está no nível mais elevado desde a reunificação das Alemanhas.
Empresários alemães "eufóricos": confiança em novo máximo
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 25 de julho de 2017 às 10:23

Nunca os empresários alemães demonstraram tanta confiança na evolução da economia. É, pelo menos, este o retrato traçado pelo ifo, o instituto que publica o índice de confiança empresarial germânico, que em Julho atingiu 116 pontos, um máximo histórico.

"O sentimento entre os empresários alemães é de euforia", considera Clemens Fuest, presidente do ifo, na nota divulgada esta terça-feira, 25 de Julho. É o terceiro mês consecutivo em que este indicador repete máximos históricos, depois de em Junho ter alcançado 115,2 pontos.

A marca agora atingida no índice ifo – 116 pontos – ficou ainda acima das previsões dos analistas citados pelo Financial Times, que previam uma queda para 114,9 pontos.

Segundo a mesma nota, a avaliação que as empresas fazem da sua actual situação atingiu o máximo desde a reunificação das Alemanhas. No sector manufactureiro o índice também atingiu um máximo, tal como na construção, enquanto a actividade do sector de venda grossista as expectativas em relação à actual situação recuaram em relação ao recorde registado no mês anterior.

"Não queremos ser derrotistas, mas é improvável que o Ifo continue esta subida no longo prazo," sustenta o Commerzbank numa nota divulgada esta manhã. Nesse documento, o banco alemão salienta que é possível ver "as primeiras nuvens no céu azul" e que a euforia empresarial não está apoiada nos dados da realidade económica.

A produção industrial subiu apenas moderadamente e apenas as encomendas a partir de países da Zona Euro têm registado um aumento, ao passo que a procura interna estagnou e fora da moeda única a tendência é de queda, acrescenta a nota do banco germânico. 

A avaliação dos empresários surge um dia depois de o índice de gestores de compras (PMI), que antecipa a evolução da economia da Zona Euro, ter revelado que em Julho a actividade terá abrandado para mínimos de seis meses, um factor também mencionado pelo Commerzbank. No caso da Alemanha – que repetiu o comportamento dos restantes membros da moeda única – este mês aquele indicador ficou em 55,1 pontos, contra 56,4 em Junho.

O novo recorde na confiança dos empresários na maior economia europeia chega a dois meses das eleições legislativas no país, marcadas para 24 de Setembro e nas quais a actual chanceler, Angela Merkel, é candidata.

(Notícia actualizada às 10:48 com nota do Commerzbank)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
cabran hitler 28.07.2017

fick mich

José Amílcar Casimiro 25.07.2017

(...)"O sentimento entre os empresários alemães é de euforia". (...)
Está na hora de sair.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub