Empresas Empresas perspectivam mais investimento e exportações em 2017

Empresas perspectivam mais investimento e exportações em 2017

Mais de metade (53%) das companhias inquiridas num estudo da Associação Industrial Portuguesa (AIP) revela intenção de investir este ano, enquanto 78% das que exportam prevêem aumentar as transacções para fora do país, segundo os resultados divulgados esta terça-feira.
Empresas perspectivam mais investimento e exportações em 2017
Paulo Duarte/Negócios
Lusa 24 de outubro de 2017 às 18:39
No seu inquérito anual à actividade empresarial, a AIP conclui também que o investimento das companhias que dizem que o vão fazer será, essencialmente, destinado a equipamentos, seguindo-se apostas nas tecnologias de informação, na formação profissional, na internacionalização, no marketing, na investigação e desenvolvimento e na qualidade, informa a AIP em comunicado.

As principais fontes de financiamento apontadas são o autofinanciamento (79%), o crédito bancário (44%) e o 'leasing' (19%), acrescenta.

Quanto aos montantes destes investimentos, cerca de 40% das empresas disponíveis para investir falou em valores superiores aos de 2016.

Relativamente às exportações, a AIP nota que cerca de 59% das companhias inquiridas diz querer apostar no exterior, sendo estas, fundamentalmente, empresas de média dimensão.

Aludindo à intensidade exportadora, a associação nota que em cerca de 54% das empresas inquiridas as exportações representam mais de 25% do seu volume de negócios.

As empresas que prevêem mais exportações face a 2016 são dos sectores da indústria e da construção, comércio e serviços.

Questionadas sobre a perspectiva dos próximos 12 meses, grande parte (59%) das 738 entidades inquiridas, de todo o país, considera que a conjuntura vai ser igual, enquanto 34% prevê que seja melhor e 7% projecta que seja pior.

Os inquéritos foram feitos entre 17 de Maio e 30 de Junho de 2017.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub