Conjuntura Energia sustenta recuperação da produção industrial

Energia sustenta recuperação da produção industrial

O penúltimo mês do ano ficou marcado pelo aumento de 1,6% na actividade em termos homólogos, apesar de a performance em cadeia (face ao mês anterior) ter saído pior.
Energia sustenta recuperação da produção industrial
Paulo Duarte/Negócios
Negócios 30 de Dezembro de 2016 às 12:48

A produção industrial recuperou em Novembro, à boleia do sector energético. No mês passado, em relação ao período homólogo de 2015, a actividade aumentou 1,6%, uma melhoria de 2,1 pontos percentuais face a Outubro (quando tinha apresentado uma queda de 0,5%), anunciou esta sexta-feira, 30 de Dezembro, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O maior contributo para esta subida foi o agrupamento da Energia, com 2,5 pontos percentuais, numa taxa de variação homóloga de 14,8%, superior aos 8,3% registados no mês anterior. Por outro lado, o sector dos Bens de Consumo registou a maior descida na taxa de variação homóloga, de -1,4% registados em Outubro para -1,9% no mês seguinte, contribuindo assim com -0,6 pontos percentuais para o índice total.

Os Bens de Investimento registaram uma taxa de variação de -1,8% relativamente ao período homólogo, abaixo dos 4,5% de Outubro. No sector da Electricidade, Gás, Vapor, Água Quente e Fria e Ar Frio, a variação homóloga subiu de 10,6% em Outubro para 19,4% em Novembro. As Indústrias também revelam uma recuperação, passando de -3% para os -0,7%. As Indústrias Extractivas subiram em Novembro 2,7 pontos percentuais, registando em Novembro uma taxa de variação homóloga de 0,2%.


Apesar do crescimento em termos homólogos, o índice de produção industrial caiu 0,8% em cadeia (face ao mês passado), após um crescimento de 1,4% no mês de Outubro. Mais uma vez, a Energia impulsionou a tendência do índice total, com uma taxa de variação mensal de -10,7%, abaixo dos 9,9% registados em Outubro. O agrupamento dos Bens Intermédios foi o que mais contribuiu de forma positiva para a produção industrial, com um aumento da variação mensal de 4,5% em Novembro, acima dos -1,9% de Outubro, contribuindo assim com 1,6 pontos percentuais para o índice total.


Relativamente aos restantes sectores, a Electricidade, Gás, vapor, Água Quente e Fria e Ar Frio anula o crescimento de 11,5% registado em Outubro. A taxa de variação mensal no sector das Indústrias Transformadoras passou de 0,3% a 1,3%, e nas Indústrias Extractivas subiu 1,4 pontos percentuais, situando-se agora nos 5,6%.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub