Saúde Enfermeiros esperam conclusão das negociações com Governo até fim de Agosto

Enfermeiros esperam conclusão das negociações com Governo até fim de Agosto

A Federação Nacional de Sindicatos de Enfermeiros (Fense) espera concluir até ao final de Agosto as negociações com o Governo, com o qual iniciou hoje a discussão de matérias como horários e remunerações.
Enfermeiros esperam conclusão das negociações com Governo até fim de Agosto
Ricardo Castelo
Lusa 31 de julho de 2017 às 15:47
O Sindicato dos Enfermeiros e Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem suspenderam na semana passada a greve que devia começar hoje (bem como outras acções de protesto), por terem chegado a um entendimento com o Governo para negociações sobre um Acordo Coletivo de Trabalho.

Hoje decorreu a primeira reunião, que segundo um comunicado da Fense "serviu para aferir as matérias que devem constar no Acordo Colectivo de Trabalho para a Carreira Especial de Enfermagem", nomeadamente uniformização de horários de trabalho, introdução da categoria de enfermeiro especialista, definição da hierarquia de enfermagem ou tabelas remuneratórias.

Os enfermeiros e Ministério da Saúde voltam a reunir-se ainda esta semana.

Na semana passada os sindicatos já diziam que as rondas negociais iam decorrer durante o mês de Agosto e que as matérias acordadas devem entrar em vigor a 01 de Setembro.

No dia 24 anunciaram a suspensão da greve de zelo e o protesto contra o não pagamento do trabalho especializado.

Os enfermeiros estavam em greve de zelo desde maio, sendo que os especialistas em saúde materna e obstétrica não prestavam cuidados diferenciados desde o início de Julho, em protesto contra a falta de pagamento da especialização.

Uma segunda greve, de cinco dias, abrangendo todos os enfermeiros, começava hoje e também foi desconvocada.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub