Ambiente EPA vai propor revogação das regras de Obama para as emissões de carbono

EPA vai propor revogação das regras de Obama para as emissões de carbono

A Agência de Protecção Ambiental dos Estados Unidos vai propor a revogação do Plano de Energia Limpa (Clean Power Plan), uma regulamentação central da administração Obama para lutar contras as alterações climáticas, avança a Reuters.
EPA vai propor revogação das regras de Obama para as emissões de carbono
Rita Faria 04 de outubro de 2017 às 08:20

Esta decisão constitui o primeiro passo formal deste organismo para eliminar as medidas implementadas pelo antecessor de Donald Trump, que têm como objectivo reduzir as emissões de carbono no país.

 

Trump, que decidiu retirar os Estados Unidos do Acordo do Clima de Paris, sempre mostrou dúvidas sobre a influência da acção humana nas alterações climáticas e culpou a administração de Obama de penalizar determinadas indústrias – como a da mineração de carvão e extracção de petróleo – com os seus esforços para reduzir as emissões.

 

De acordo com a agência noticiosa, o Plano de Energia Limpa foi contestado em tribunal por 27 estados depois do seu lançamento, em 2015. Actualmente, encontra-se suspenso pelo Tribunal de Recursos, que fixou esta sexta-feira como prazo limite para a EPA anunciar como pretende prosseguir.

 

Segundo um documento a que a Reuters teve acesso, a EPA "está a emitir uma proposta para revogar a regulamentação" e a considerar desenvolver uma proposta alternativa, destinada igualmente a reduzir as emissões de CO2 "das unidades geradoras de energia eléctrica a partir de combustíveis fósseis".

 

O Plano de Energia Limpa, concebido para diminuir as emissões das centrais eléctricas dos Estados Unidos até 2030 para um nível 32% abaixo do de 2005, foi tido como a principal ferramenta para os Estados Unidos cumprirem as promessas do Acordo de Paris, um pacto global para lutar contras as alterações climáticas.

 

A Reuters adianta que alguns grupos conservadores pediram que a EPA eliminasse o plano de Obama sem o substituir, acabando, efectivamente, com a regulamentação dos EUA sobre as emissões de carbono.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar