Economia Espanha já pediu intervenção externa para recapitalizar a banca

Espanha já pediu intervenção externa para recapitalizar a banca

Espanha avançou com um pedido de intervenção externa, numa teleconferência que contou com a participação dos ministros das Finanças da Zona Euro e da directora-geral do FMI, noticia o "El País". São 100 mil milhões de euros o valor que a Europa vai emprestar a Espanha, sob supervisão do FMI. Espanha escapa a um programa de austeridade.
Sara Antunes 09 de junho de 2012 às 18:10
Os ministros das Finanças estiveram reunidos através de uma teleconferência, com o resgate á banca espanhola como tema de fundo.

O ministro da Economia de Espanha, Luis de Guindos, vai dar uma conferência de imprensa às 18h30, hora de Lisboa.
O Eurogrupo vai emitir um comunicado, mas nunca antes de Luis de Guindos explicar aos espanhóis o que vai acontecer.

A estimativa inicial do FMI é que os bancos espanhóis precisem de 40 mil milhões de euros, um valor que poderá chegar aos 100 mil milhões de euros. Foi precisamente este valor que foi acordado emprestar a Espanha para recapitalizar o sector bancário.

Segundo a France Press, o Eurogrupo não vai exigir a Espanha um programa de austeridade.

A conferência durou quase três horas, tendo começado às 15h e terminado poucos minutos antes das 18h.

(Notícia em actualização)


A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Bigodes 09.06.2012

se o povo não exigir mudanças essas nubca serão feitas... mas mudanças a sério, não são mudanças para os outros.. porque o portugueses sao peritos em criticar e pedir reformas, mas quando lhe tocammmm, alto ai, reformas sim mas para os outros... porque em portugal não se fazem reformas sérias??? porque cerca de metade da população depende do estado????? porque os grupos poderosos e organizados não permitemmmm, então quem paga as faturas dos grandes salarios e regalias com dinheiro que não existe,, o zezinhoooooo pobrezinhoooooo.. pessoas a recibos verdes, que regalias tem???? e outros.... é por isto que não tenho orgulho de ser portugues..... o povo tem o que merece.... quando rebentar??? será tarde para acordar???? acaba a democracia e vivem em ditadura.....

inguias 09.06.2012

Esta matéria não é a minha especialidade e admira-me que os especialistas não ponham esta questão. Quando foi criado o euro, a ideia inicial era ter um valor semelhante ao dólar. Se já chegou a ter um valor superior a 1,5 dolares porque não o inverso agora que o seu valor é um enorme obstáculo. Claro que os produtos importados ficariam mais caros mas a dívida da Europa seria muito reduzida. Em 1975 o marco alemão valia 7 escudos, quando entrámos no euro valia 80. É o momento de pensar nisto.

Luis Pais 09.06.2012

Isto é para provar aos detratores do Teixeira dos Santos e do Socrates que não percebem nada disto.
Estão a ver como se deve negar a necessidade de intervenção até ao fim? ou deviam os governantes espanhóis ser julgados e presos também?
Aprendam a não ser ridículos...

anonimo 09.06.2012

Como eu já tinha avisado!
Os banqueiros é que mandam nisto tudo!

Mas será que as pessoas são assim tão ignorantes!?
Têm noção de como funcionam os bancos (as maiores instituições criminosas do planeta)?
Por cada valor que uma pessoa deposita, o banco pode criar e emprestar literalmente do nada 9 vezes ou 10 vezes (acho que é 9 mas agora não me lembro) esse valor - ou seja, se eu depositar 100€, o banco pode emprestar 900€, dinheiro esse que não existe! Eles criam dinheiro do nada!
O que eles fazem é criar um dívida perpétua mantendo assim todas as pessoas como escravos. Mesmo que todos aqueles que pediram empréstimos quisessem pagar tudo o que devem seria impossível pois não há dinheiro 'real' suficiente em circulação.
O dinheiro que foi emprestado veio do 'nada' e por isso as pessoas têm que devolver ao banco dinheiro real (e com juros) de algo que não existia!
É este o grande segredo dos bancos mundiais e do seu controlo sobre tudo e todos...
Se nós imprimirmos dinheiro e formos às compras somos presos por falsificação de dinheiro.
Os bancos mundiais criam dinheiro do nada e é tudo legal!
Assim sendo, mesmo que quem 'deve' dinheiro aos bancos pagasse apenas metade do que pediu emprestado os bancos continuariam a lucrar imenso!
Entendem agora toda esta farsa?
Não há falta de dinheiro nos bancos...
Lembram-se quem é que insistiu para que o FMI 'entrasse' em Portugal?
Os banqueiros! Quem é que pensam que manda no FMI?
Ou seja, para além de nos roubarem todos os dias, ainda fizeram um golpe final - disseram ao FMI para vir cá e dizer que os bancos precisavam de se capitalizar!
E o mesmo em Espanha... e não ficam por aqui! Mais dinheiro a entrar nos bancos! E quem é que paga a factura final? Nós, os tansos dos 99%!!
Vão lá entreter-se com a treta da 'bola' e do Europeu e não abram os olhos e depois queixem-se que não têm dinheiro para pagar as dívidas!!

ver mais comentários
pub