Zona Euro Espanha não desiste da liderança do Eurogrupo

Espanha não desiste da liderança do Eurogrupo

Luis de Guindos, ministro espanhol das Finanças e Economia, está já a preparar uma segunda ofensiva para tentar ocupar o lugar de Dijsselbloem, escreve o Expansión.
Espanha não desiste da liderança do Eurogrupo
Negócios 07 de Novembro de 2016 às 12:56

Luis de Guindos, ministro das Finanças e Economia de Espanha, está de regresso ao terreno da diplomacia para tentar ampliar a sua base de apoios, preparando-se para a eventualidade de a presidência do Eurogrupo – órgão que reúne os ministros das Finanças dos países do euro, e cuja liderança perdeu em Julho do ano passado - ficar vaga mais cedo do que o previsto.

 

Segundo escreve o jornal Expansión, Madrid está já a antecipar a possibilidade de Jeroen Dijsselbloem, o actual presidente do Eurogrupo, ser arredado do posto em Março do próximo ano, altura para a qual estão marcadas eleições nos Países Baixos: caso o seu partido socialista não integre a nova coligação governamental ou o próprio Dijsselbloem não seja reconduzido na liderança do Ministério das Finanças, este perderá o cargo europeu.

 

Não obstante ter tido apoios de peso, designadamente da Alemanha (e também de Portugal), De Guindos (na foto) perdeu a corrida, e Jeroen Dijsselbloem foi reconduzido na presidência do Eurogrupo em Julho do ano passado por um segundo mandato que, à partida, expira em Dezembro de 2017.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub