Orçamento do Estado Esquerda aprova aumento do Imposto do Selo para operações financeiras

Esquerda aprova aumento do Imposto do Selo para operações financeiras

O agravamento do Imposto do Selo sobre as operações financeiras no próximo ano foi aprovado esta quinta-feira na especialidade, com os votos favoráveis do PS, do BE e do PCP e com os votos contra do PSD e do CDS-PP.
Esquerda aprova aumento do Imposto do Selo para operações financeiras
Bruno Simão
Lusa 23 de novembro de 2017 às 23:42

Na proposta de Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), o Governo alterou a tabela geral do Imposto do Selo (IS), aumentando a taxa sobre as operações financeiras.

 

No crédito de prazo inferior a um ano (por cada mês ou fracção) a taxa do IS sobe de 0,07%, para 0,08%, no crédito de prazo igual ou superior a um ano a taxa aumenta de 0,9% para 1% e no crédito utilizado sob a forma de conta corrente, descoberto bancário ou qualquer outra forma em que o prazo de utilização não seja determinado ou determinável (onde se incluem os cartões de crédito) a taxa cresce de 0,07%, para 0,08%.

 

Há dois anos, no Orçamento do Estado, o Governo subiu em 50%, para uma taxa de 4%, o IS aplicado a "outras comissões e contraprestações por serviços financeiros, incluindo as taxas relativas a operações de pagamento baseadas em cartões", taxa que se manteve este ano e que não é alterada segundo a versão preliminar a que a agência Lusa teve acesso.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

Aí vêm mais taxas, taxinhas e taxetas. Não há milagres

comentários mais recentes
Manuel Há 3 semanas

Mais impostos para pagar mais benesses aos funcionários públicos

pertinaz Há 3 semanas

HÁ QUE ESMIFRAR O CONTRIBUINTE...

E DEPOIS LANÇAM FAKE NEWS SOBRE NÍVEIS DE IMPOSTOS ABAIXO DA MÉDIA DA OCDE...

ESTA ESCUMALHA DE ESQUERDA QUE NOS DESGOVERNA VAI LEVAR O PAÍS À RUÍNA...!!!

Anónimo Há 3 semanas

Aí vêm mais taxas, taxinhas e taxetas. Não há milagres

pub