Rendas Esquerda negoceia menos IRS para rendas baratas e contratos longos

Esquerda negoceia menos IRS para rendas baratas e contratos longos

As propostas fiscais sugeridas pelos representantes dos inquilinos e dos senhorios parecem estar a ser consideradas na preparação do Orçamento do Estado para 2018.
Esquerda negoceia menos IRS para rendas baratas e contratos longos
Miguel Baltazar
Negócios 11 de setembro de 2017 às 10:21

O deputado do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, adiantou que está a ser negociada com o Governo "uma diferenciação da taxa liberatória [28%] para senhorios que pratiquem contratos de arrendamento mais longos e a preços controlados".

 

Em declarações ao Público, o dirigente bloquista, que participa nas discussões sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2018 (OE 2018), sustentou que a medida deverá passar pela criação de vários escalões para tentar contrariar a actual escassez de oferta no arrendamento tradicional.

 

A proposta vai de encontro ao pedido da Associação de Inquilinos Lisbonenses, que na semana passada defendeu dois escalões de rendimento e duas taxas de imposto diferentes que beneficiem as rendas mais baixas, até 5% do valor patrimonial tributário (VPT) dos prédios. Pôr a fiscalidade a "contribuir para dinamizar e credibilizar o mercado de arrendamento habitacional" é a reivindicação no quadro do OE para 2018.

 

Do lado dos senhorios também há medidas semelhantes no sentido de reduzir a actual taxa de 28% aplicada aos rendimentos prediais, acompanhando a duração dos contratos de arrendamento. Na prática, segundo a formulação da Associação Lisbonense de Proprietários, deveriam ser menos três pontos percentuais por cada ano de vigência de um contrato que dure até cinco anos, e uma taxa única de 10% para contratos de duração superior a seis anos.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.09.2017

Protejam os senhorios, despejos rápidos em caso de incumprimento, pagamento de estragos, etc e vão ver que existirão muitas mais casas para alugar. Muitos proprietários têm medo de alugar as casa devido aos problemas que isto poderá trazer! Já para não falar da carga fiscal!

Johnny 11.09.2017

O que a esquerda devia estar a negociar era IMI de 20% ao ano para os parasitas senhorios que vivem às custas das rendas de 20-30-50 imoveis que detêm e que nada fazem para a sociedade !

pub