Finanças Públicas Está a ser "complexo" calcular progressões. Serviços terão mais tempo

Está a ser "complexo" calcular progressões. Serviços terão mais tempo

Os serviços do Estado estão a calcular quanto custam as progressões que começam a ser desbloqueadas em 2018. Mas o trabalho está a ser "complexo". Prazo foi estendido por uma semana.
Está a ser "complexo" calcular progressões. Serviços terão mais tempo
Negócios com Lusa 17 de maio de 2017 às 09:18
O Governo estendeu por sete dias o prazo para os serviços da administração pública enviarem informações sobre os trabalhadores que podem progredir nas carreiras e o impacto financeiro desse descongelamento das progressões na Função Pública, que será usado para a preparação do Orçamento de 2018.

A alteração da data limite, de 15 para 22 de Maio, consta de um despacho publicado esta terça-feira, 16 de Maio, em Diário da República e assinado pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, que no Programa de Estabilidade limitou o impacto da medida a 200 milhões de euros por ano (141 milhões de euros em termos líquidos).

Segundo o despacho, nos organismos com maior número de trabalhadores "o processo de recolha e registo tem-se revelado complexo, mostrando-se difícil assegurar o cumprimento do prazo inicialmente estipulado sem comprometer a fiabilidade da informação", pelo que foi decidida a sua extensão.

Os serviços da administração pública central e segurança social, sector público empresarial, bem como fundações públicas e entidades intermunicipais (como áreas metropolitanas) ficam assim com mais sete dias para remeterem "toda a informação relevante para efeitos de valorização remuneratória, designadamente através de promoções e progressões, relativa aos seus trabalhadores, com vista ao cálculo do impacto orçamental no âmbito do processo de elaboração da proposta de lei do orçamento do Estado para 2018".

Já para as entidades de administração local não é dada informação, pelo que se mantém o prazo de 31 de maio.

A data de referência para a prestação da informação pelos serviços é a de 31 de Dezembro de 2016.



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 17.05.2017

Mas há quem seja promovido sem nada fazer

http://www.dn.pt/portugal/interior/mai-e-financas-assinam-promocoes-de-684-elementos-da-gnr-8482761.html

Mr.Tuga 17.05.2017

RELAX!

Mandem-me a conta!

laranjinha 17.05.2017

Centeno um excelente MF espero que não se deixe enganar e reforme a AP pois está obsoleta, inundada de boiada dos partidos em observatórios, institutos, grupos de estudo, fundações, associações etc. Tudo tretas paa sacar milhões aos contribuintes.

Tereza economista 17.05.2017

Progressões sem melhor e maior produtividade será provocar a desgraça dopais a curto prazo. A administração Pública é um monstro com serviços e entidades que não tem qualquer justificação, são verdadeiros empecilhos ao desenvolvimento.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub