Américas EUA intensificam combate a fugas de informação e acusam quatro pessoas

EUA intensificam combate a fugas de informação e acusam quatro pessoas

O procurador-geral Jeff Sessions, que nos últimos dias foi alvo de críticas de Donald Trump por alegada passividade no tratamento de fugas de informação, anunciou que o número de investigações a estes casos triplicou.
EUA intensificam combate a fugas de informação e acusam quatro pessoas
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 04 de agosto de 2017 às 16:59

A justiça norte-americana acusou quatro indivíduos por terem, ilegalmente, divulgado informação classificada ou por terem tido contactos não revelados com agentes de serviços de inteligência internacionais.

O anúncio foi feito em Washington esta sexta-feira, 4 de Agosto, pelo procurador-geral norte-americano Jeff Sessions (na foto). O responsável judicial disse, citado pela Reuters, que as investigações a saídas não autorizadas de informação triplicaram. A identidade dos acusados e a informação que terão divulgado não é conhecida.

"Estamos a tomar uma posição. (…) O número surpreendente de fugas de informação põe em causa a capacidade do nosso governo para proteger este país," acrescentou Sessions, sublinhando que é preciso parar com a "cultura de fugas de informação." O procurador avisou ainda que a justiça pode investigar e processar os meios de comunicação social que divulguem a informação confidencial.

"Tenho uma mensagem para os amigos na comunidade de inteligência - o departamento de Justiça está a trabalhar e tem um aviso para os potenciais autores de fuga de informação: não o façam," concluiu.

Nos primeiros seis meses do ano, Sessions diz ter recebido quase tantas denúncias de fuga de informação quantas as chegadas àquele serviço nos últimos três anos combinados.

Na mesma declaração perante os jornalistas, o director do serviço de inteligência nacional, Daniel Ray Coats, afirmou que a revelação de informação classificada põe em perigo a segurança dos EUA e que as fugas têm tido múltiplas origens, incluindo o próprio Governo e o Congresso.

"Qualquer divulgação fora de canais autorizados é uma ofensa criminal. Não toleraremos a divulgação ilegal de informação classificada," garantiu.

O presidente norte-americano tem reclamado das sucessivas fugas de informação, chegando inclusive a dizer-se muito desiludido por Jeff Sessions não ter perseguido os autores dessas saídas não autorizadas de informação.

"Quero que o procurador-geral seja mais duro com as fugas de agências dos serviços de inteligência que estão a divulgar informação como nunca antes e a um nível muito importante. (…) isto não pode acontecer. (…) Estou muito desiludido com o procurador-geral, mas vamos ver o que acontece. O tempo o dirá, o tempo o dirá," afirmou Trump no passado dia 26 de Julho.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 04.08.2017

Vejam o seguinte site de um jornalista:

https://youtu.be/hfblFvs_jBl

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub