Mundo EUA admitem que chefe do grupo Estado Islâmico possa estar vivo

EUA admitem que chefe do grupo Estado Islâmico possa estar vivo

O secretário da Defesa dos EUA, James Mattis, admitiu esta sexta-feira que o chefe do grupo extremista Estado Islâmico (EI), Abou Bakr al-Baghdadi, esteja vivo.
EUA admitem que chefe do grupo Estado Islâmico possa estar vivo
Reuters
Lusa 21 de julho de 2017 às 21:00

"Penso que Baghdadi está vivo e pensarei outra coisa quando soubermos que o matámos", declarou James Mattis aos jornalistas, acrescentando: "Queremos apanhá-lo e partimos do princípio de que está vivo".

 

A morte do chefe do IE (Daesh no seu acrónimo em árabe) foi anunciada no início de Julho pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, no dia seguinte ao da proclamação pelo governo do Iraque da sua vitória em Mossul sobre aquele grupo radical.

 

Esta não foi a primeira vez que o autoproclamado califa do Daesh foi dado como morto. Os militares russos anunciaram em 22 de Junho que tinham "uma forte probabilidade" de ter morto Abou Bakr al-Baghdadi.

 

Desde 2014 que têm circulado numerosos rumores sobre a sua morte, mas nunca algum foi confirmado. Os EUA oferecem 25 milhões de dólares (21 milhões de euros) pela sua captura.

 

Uma gravação áudio de Al-Baghdadi tinha sido difundida em Novembro de 2016, na que é a última manifestação pública do líder do Estado Islâmico. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub