Mundo EUA bombardeiam novas posições do Daesh na Líbia

EUA bombardeiam novas posições do Daesh na Líbia

O exército norte-americano realizou mais dois ataques aéreos na Líbia, visando o grupo extremista Daesh, que mataram "vários" combatentes, anunciou o Comando dos Estados Unidos para África (AFRICOM) num comunicado.
EUA bombardeiam novas posições do Daesh na Líbia
Reuters
Lusa 29 de setembro de 2017 às 00:19

Os bombardeamentos ocorreram na passada terça-feira a cerca de 160 quilómetros a sudeste da cidade de Sirte, precisa o comunicado.

 

No domingo, 24 de Setembro, o Pentágono anunciou os primeiros ataques aéreos na Líbia desde a tomada de posse do presidente Donald Trump a 20 de Janeiro. Os Estados Unidos efectuaram no dia 22 "seis ataques aéreos de precisão" contra um acampamento do Daesh (o autoproclamado Estado Islâmico), no deserto da Líbia, nos quais morreram 17 terroristas e foram destruídos três veículos.

 

"O EI e a Al-Qaida aproveitam áreas não governadas na Líbia para estabelecerem santuários para preparar e dirigir atentados terroristas, recrutar combatentes estrangeiros e facilitar os seus movimentos, assim como criar e usar fundos para financiar as suas operações", sublinhou esta quinta-feira o AFRICOM.

 

Desde a queda do regime de Muammar Kadhafi em 2011, a Líbia ficou entregue a milícias e duas autoridades disputam actualmente o poder: um governo de união nacional reconhecido pela comunidade internacional, sediado em Tripoli, e uma autoridade que exerce o poder no leste do país com o apoio do marechal Khalifa Haftar.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub