União Europeia Euro "pode colapsar" dentro de 18 meses, avisa possível embaixador de Trump na UE

Euro "pode colapsar" dentro de 18 meses, avisa possível embaixador de Trump na UE

O homem que Donald Trump terá escolhido para ser o seu embaixador na União Europeia recomenda que se aposte na queda do euro e diz que o Reino Unido poderá fechar um acordo de livre comércio com os EUA em menos 90 dias.
Euro "pode colapsar" dentro de 18 meses, avisa possível embaixador de Trump na UE
Negócios 25 de janeiro de 2017 às 18:21

Ted Malloch, a potencial escolha de Donald Trump para embaixador na União Europeia, disse em entrevista à BBC que o euro "pode colapsar" nos próximos 18 meses. E acrescenta que se tivesse de apostar, investiria na queda do euro. Estaria "short", o mesmo é dizer que aposta na queda da moeda única europeia.

 

O mesmo responsável disse também que o Reino Unido e os EUA poderão chegar a um acordo "benéfico para ambos" de comércio livre em menos de 90 dias. E defende que o para os EUA seria melhor se o Reino Unido saísse da União Europeia de forma "limpa".

 

Ainda não está confirmado se Malloch será embaixador dos EUA na UE, apesar de já ter sido noticiado por vários meios de comunicação que terá sido a escolha de Trump para desempenhar este papel.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado vascoapolinario.abreu Há 3 semanas

Aqui está! Quem ainda não percebeu que o mundo está em acelerada mudança que se atualize! O EUA e a Inglaterra conduziram as mudanças ocorridas no início do sé XIX, do séc XX e fá-lo-ão no séc. XXI... Quem não sabe de história que estude!

comentários mais recentes
Francisco António Há 3 semanas

Possível embaixador ! Chama-se a isto "jornalismo criativo" ! Se tudo correr bem...ainda bem. Mas se tudo correr mal...temos borrasca ! Minha rica Lei de Murphy...

Anónimo Há 3 semanas

Andam para aí uns visionários, amantes da "democracia" faz de conta, fabricantes de "geringonças" que quando a "música" não é a que tocam, desatam aos gritos "HÁ QUE D'EL REI", vem aí o fascismo! Enfim... perdoemos-lhes, não sabem mais.

Songo-mongo Há 3 semanas

A rigidez das politicas económicas e monetárias, ditadas pela Alemanha nesta UE, estão a dar estes "magnificos frutos". A Alemanha é a principal culpada. As regras rigidas do Euro tem beneficiado e de que maneira os alemães. A inglaterra saiu e parece posicionar-se para um acordo comercial com EUA.

Filipe Há 3 semanas

Fortalecer os EUA passa por enfraquecer todos os outros. É "dividir para reinar". Quer poluir á vontade, quer afastar-se da ONU, para "atacar" quem quiser sem escrutínio. A Alemanha agora já se dispõe a maior "flexibilidade" em Estados mais frágeis, como Grécia. Se o euro cair a culpa é da Merkel.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub