Economia Eurogrupo: Centeno confiante, mas baixa expectativa quanto à eleição à primeira volta

Eurogrupo: Centeno confiante, mas baixa expectativa quanto à eleição à primeira volta

Ainda sem os 10 votos garantidos para ser escolhido à primeira volta, o ministro das Finanças refere aos jornalistas que "as rondas de votações são normais".
A carregar o vídeo ...
Marta Moitinho Oliveira 04 de dezembro de 2017 às 12:35

O ministro das Finanças admitiu esta manhã que se for eleito à primeira volta terá uma "posição reforçada", mas baixou as expectativas quanto a esta possibilidade. "As rondas de votações são normais", afirmou Mário Centeno.

O governante, que se candidata à presidência do Eurogrupo, falava aos jornalistas à margem do encontro dos ministros das Finanças dos 19 estados-membros que partilham o euro. 

Informações recolhidas esta manhã pelo Negócios indicavam que o Governo português ainda não dava como certos os 10 votos necessários para uma eleição à primeira volta.

Na conversa com os jornalistas, Mário Centeno reflectiu isso mesmo. "As rondas de votações são normais", afirmou o ministro das Finanças, ressalvando que o que é importante é que "no fim todos tenhamos a disponibilidade para reafirmar que esse resultado reflecte a opinião dos 19 membros".

O governante, um dos quatros candidatos na corrida à liderança do Eurogrupo, defendeu que "a duração [do processo de escolha] não seja nenhum indicador", apesar de admitir que qualquer candidato que seja eleito à primeira "tem obviamente uma posição reforçada".

"O primeiro objectivo é participar, estar presente" e ganhar à primeira "será apenas um resultado possível", afirmou.

No entanto, o "objectivo é ganhar". "Fizemos o que tínhamos de fazer", disse numa referência às conversas mantidas com as famílias políticas representadas no Eurogrupo.



(Notícia actualizada)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub