Europa Europa dá luz verde ao prolongamento de sanções económicas à Rússia

Europa dá luz verde ao prolongamento de sanções económicas à Rússia

As sanções a Moscovo, impostas no Verão de 2014, que visam nomeadamente bancos e empresas russas do sector da Defesa, deveriam acabar no final de Julho.
Europa dá luz verde ao prolongamento de sanções económicas à Rússia
Reuters
Lusa 23 de junho de 2017 às 01:02

Os líderes europeus deram 'luz verde' ao prolongamento por seis meses das sanções económicas pesadas impostas pela União Europeia à Rússia pelo seu suposto papel no conflito ucraniano, anunciou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

 

Estas sanções, impostas no Verão de 2014, que visam nomeadamente bancos e empresas russas do sector da Defesa, deveriam acabar no final de Julho.

 

"Acordo. A UE vai prolongar as sanções económicas contra a Rússia porque não implementa adequadamente os acordos de Minsk", divulgou Donald Tusk na rede social Twitter.

 

A Alemanha e a França negociaram, em 2015, com a Ucrânia e a Rússia, os Acordos de Minsk – ao abrigo dos quais terminaram os confrontos em larga escala no Leste da Ucrânia entre forças do país e separatistas pró-russos, não se tendo chegado a um cessar-fogo.

 

Desde Março de 2014, a UE impôs progressivamente um conjunto de medidas restritivas em resposta à anexação ilegal da Crimeia e à desestabilização deliberada da Ucrânia.

 

Em Março de 2015, os dirigentes da UE decidiram alinhar o regime de sanções existente pela aplicação integral dos Acordos de Minsk, que estava prevista para o final de Dezembro de 2015.

 

Desde então, e por falta de aplicação na íntegra dos acordos, as sanções foram já prorrogadas por três vezes, terminando o último prazo em 31 de Julho.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub