Política Eurosondagem: Esquerda cai e direita sobe

Eurosondagem: Esquerda cai e direita sobe

A sondagem da Eurosondagem coloca a esquerda em queda e a direita a subir, com os partidos da geringonça prejudicados pelo momento difícil resultante do regresso das greves na Função Pública e do papel do Estado nas mortes por legionella. Dos líderes políticos, só o Presidente da República aumentou a popularidade em Novembro.
Eurosondagem: Esquerda cai e direita sobe
David Santiago 17 de novembro de 2017 às 12:30

O barómetro de Novembro da Eurosondagem para a SIC e o Expresso indica que a esquerda está em queda e a direita em alta, com o PS a manter-se na liderança nas intenções de voto mas a recuar um ponto percentual face a Outubro.

 

Em plena discussão do Orçamento do Estado para 2018 e numa fase marcada pelo regresso da contestação da Função Pública, em especial por parte dos professores, e pelas mortes provocadas por legionella, a que se juntam ainda os incêndios de Outubro, a sondagem da Eurosondagem atribui 40% ao PS e 28,4% ao PSD, que sobe 0,4 pontos percentuais relativamente ao mês passado.

 

Os restantes partidos que integram a chamada geringonça também são negativamente afectados pelos acontecimentos mais recentes que marcaram a agenda política, com o Bloco de Esquerda a descer para 8,7% e a CDU (PCP e PEV) a recuar para 6,9%. Em sentido oposto, o CDS sobe 0,6 pontos percentuais para 6,6% e o PAN cresce ligeiramente para 1,7%.


Mas apesar de se aproximar, a direita permanece bastante aquém do somatório dos partidos da esquerda parlamentar. PSD e CDS somam 35% enquanto as forças que integram a actual solução governativa ascendem a 55,6%.

 

Marcelo é o único líder político a ganhar popularidade


O Presidente da República viu a sua popularidade crescer meio ponto para um saldo global positivo de 62,5 pontos. Marcelo Rebelo de Sousa é mesmo o único líder político cujos níveis de aceitação crescem em Novembro, o que acontece depois do discurso proferido pelo Presidente na sequência do dia com mais fogos do ano (15 de Setembro) e que foi bastante crítico acerca da actuação do Governo.

 

Já o primeiro-ministro é o líder com a maior quebra de popularidade, com António Costa a perder 2,1 pontos para um total positivo de 32,3 pontos. A líder do CDS, Assunção Cristas, recua para 6,7 pontos, o secretário-geral comunista, Jerónimo de Sousa, cai para 5,9 pontos, o presidente cessante do PSD, Passos Coelho, resvala para 2,9 pontos, e a coordenadora do Bloco, Catarina Martins, desliza para 1,9 pontos.




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Observador Há 4 semanas

A ESQUERDALHA não se importa ter " SÓ" 55 % contra A DIREITALHA 35% " altissima" .... Não é só merito do Costa /B.E/PCP , mas a MÉRIDA que o PASSOS FÊZ contra os grisalhos e mandar para fora do PAÍS 400 mil de jovens LICENCIADOS . A DIREITALHA que continue assim que faz mto bem !

Desta vez o PS não estará sozinho na bancarrota Há 4 semanas

Tem mais 4 derrotados esquerdalhas para companhia.
Espero que desta vez a direita obrigue o costa a limpar a m€&***@ que fez.
A direita não dará outro Passos para o sacrifício, e ficar com as culpas dos porcos...

Anónimo Há 4 semanas

Será q muitos portugueses ainda estão ceguinhos? Ponham lá o PPC e Compª e vão ver o q de lá sai.
Não tiveram já a prova provada do q são? Depois paga o justo p pecador. O português é assim, gostam de levar tareia e ainda agradecem.
QUEREM tudo de u vez? N há milagres. PORCA MISÉRIA.

Aos Portugueses interessa é resultados Há 4 semanas

positivos. Diariamente isso acontece. Ontem foi feito mais um pagamento ao FMI, neste momento 75% já foi pago. UE tira Portugal de ciclo restritivo, dando assim aso a subida de ranking bancário. Tudo o resto é musica (mal) tocada pela extrema direita. Incapaz de mostrar como fazer melhor.

ver mais comentários
pub