Conjuntura Eurostat confirma descida da inflação na Zona Euro para mínimo do ano

Eurostat confirma descida da inflação na Zona Euro para mínimo do ano

A inflação na Zona Euro baixou para 1,4% em Maio. Portugal está entre os países que apresenta uma taxa acima da média.
Eurostat confirma descida da inflação na Zona Euro para mínimo do ano
Bloomberg
Nuno Carregueiro 16 de junho de 2017 às 10:27

O índice de preços no consumidor na Zona Euro cresceu a um ritmo anual de 1,4% no mês de Maio, anunciou o Eurostat esta sexta-feira, 16 de Junho, confirmando a estimativa preliminar divulgada a 31 de Maio.

 

A taxa registada em Maio é a mais reduzida deste ano e compara com os 1,9% registados em Abril, o que aponta para um forte travagem no crescimento dos preços na região, retirando pressão sobre o BCE para aliviar a política de estímulos monetários.

 

Na reunião do BCE realizada já este mês a autoridade monetária manteve as taxas de juro e o programa de compra de activos, embora tenha alterado o seu discurso, para dar conta que já não antecipa que venha a precisar de descer as taxas de juro na região.

 

Segundo o Eurostat, as telecomunicações e o vestuário foram os produtos que mais pressionaram os preços em baixa, enquanto a subida dos combustíveis travou uma travagem mais acentuada.

 

Excluindo energia, alimentos, álcool e tabaco, a inflação na Zona Euro situou-se em 0,9%, o que também traduz uma descida face aos 1,2% registados em Abril.

 

Os preços dos bens energéticos aumentaram 4,5% em Maio face ao mesmo mês do ano passado, tendo recuado 1,2% face Abril deste ano, o que explica o abrandamento da inflação entre os dois meses.

 

Portugal continua com uma taxa de inflação acima da média da Zona Euro, com o crescimento do índice harmonizado de preços no consumidor (IHPC) a situar-se em 1,7% em Maio. Trata-se da 11ª taxa mais elevada entre os países da UE e 8ª na Zona Euro.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
MAS SERÁ QUE NEM HOJE DEIXAM O BCP SUBIR 16.06.2017

HARRE QUE É DEMAIS NEM HOJE QUE A FINTCH VAI SUBIR OS RATINGS DO BCP E DE PORTUGAL NEM HOJE DEIXAM O BCP SUBIR LIVRA QUE FOI TODA A SEMANA A DESCER TODA A TRAMPA A SUBIR e o MILENIUM BCP É SEMPRE MARRADO PARA BAIXO HARRE que já é DEMAIS

Camponio da beira 16.06.2017

Portugal são não tem deflação por causa dos preços da energia, gás e combustiveis,artificlamente elevados.São sei se os salarios contam mas se sim, Gestores, Professores, Medicos, e Magistrados também contariam para inflacionar, face à media europeia.

pub