Mundo Ex-chanceler alemão Helmut Kohl morreu hoje

Ex-chanceler alemão Helmut Kohl morreu hoje

Kohl "faleceu esta manhã na sua casa de Ludwigshafen", sudoeste do país, revelou o jornal Bild.
Ex-chanceler alemão Helmut Kohl morreu hoje
reuters
Lusa 16 de junho de 2017 às 16:42

O ex-chanceler alemão Helmut Kohl, o "pai" da reunificação alemã, morreu hoje aos 87 anos, indicou o diário Bild, cuja direcção estava muito próxima desta figura da história da Alemanha contemporânea.

 

Kohl "faleceu esta manhã na sua casa de Ludwigshafen", sudoeste do país, revelou o jornal. A informação foi em seguida confirmada pela União Cristã-Democrata (CDU), o partido do chanceler que governou a Alemanha entre 1982 e 1998.

 

Helmut Kohl foi o dirigente político germânico que mais tempo governou a República Federal, com quatro legislaturas, e foi o artífice da reunificação alemã, após a queda do Muro de Berlim em 1989.

 

"Estamos de luto, descanse em paz", referiu a CDU na rede social de mensagens curtas Twitter, ao confirmar a morte do político.

 

A União Social-Cristã (CSU), o partido bávaro associado à CSU de Angela Merkel, também emitiu uma mensagem no Twitter: "Estamos de luto pelo ex-chanceler Helmut Kohl. Kohl era um grande estadista, os seus resultados para o nosso país são incalculáveis".

 

O ex-chanceler estava afastado da vida pública desde 2008 e remetido a uma cadeira de rodas, após a queda numas escadas que lhe provocou um traumatismo cranioencefálico.

 

Kohl emergiu na política nacional alemã em 1976, quando se tornou no chefe da oposição e conquistou a chancelaria em 1982, após garantir a aprovação de uma moção de censura contra o então chefe do executivo, o social-democrata Helmut Schmidt.

 

Um ano depois foi confirmado pelas urnas no posto de chanceler, e manteve-se no cargo até 1998, quando foi derrotado pelo social-democrata Gerhard Schröder, que pela primeira vez se aliou aos Verdes para recuperar o governo da Alemanha.

 

Bill Clinton, ex-presidente dos EUA, descreveu numa ocasião Kohl como "o mais importante estadista europeu desde a II Guerra Mundial".

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Barbosa 17.06.2017

Se Portugal tivesse tido um político da estirpe do sr,Kohl a seguir ao verão quente,talvez que o nosso país fosse diferente a nivel de finanças.No entanto a interrogação que coloco é-um Kohl português cá conseguiria o que o alemão lá conseguiu?Como eu sei que não sei,só sei que ser patriota é algo?

ABRANTES 16.06.2017

UM GRANDE POLÍTICO. SE PORTUGAL TIVESSE HOMENS DA ENVERGADURA DE HELMUT KOHL SERIA SEGURAMENTE UM PAÍS BEM MELHOR. MAS OS PULHÍTICOS PORTUGUESES DA DITA DIREITA À DITA ESQUERDA ESTÃO A ANOS LUZ, NÃO APENAS EM COMPETÊNCIA, MAS SOBRETUDO EM CARÁCTER (ÉTICA).

Conselheiro de Trump 16.06.2017

Homem tao grande para uma uniao tao pequena,merecia coisa melhor.

CaTu 16.06.2017

"MAS SERÁ QUE NEM HOJE DEIXAM O BCP SUBIR" e os emails do Benfica? E o carro avariado na ponte?

pub