Justiça Ex-presidente do INEM Paulo Campos diz que buscas decorreram de processos ligados a auditorias que pediu

Ex-presidente do INEM Paulo Campos diz que buscas decorreram de processos ligados a auditorias que pediu

O ex-presidente do Instituto de Emergência Médica Paulo Campos garantiu hoje que as buscas de quinta-feira da PJ se inserem no âmbito de processos sobre os quais ele próprio ordenou auditorias externas.
Ex-presidente do INEM Paulo Campos diz que buscas decorreram de processos ligados a auditorias que pediu
Bruno Simão/Negócios
Lusa 16 de dezembro de 2016 às 07:43

"As buscas ontem [quinta-feira] realizadas inserem-se no âmbito de processos sobre os quais eu próprio ordenei o levantamento de auditorias externas e comuniquei às autoridades competentes", afirmou, em declarações à agência Lusa.

 

Paulo Campos acrescentou que já tinha "enviado denúncia de factos concretos sobre possíveis irregularidades do Gabinete de Logística ao Ministério Público".

 

Em resposta escrita à Lusa, Paulo Campos sublinha que não foi constituído arguido por corrupção, ou por qualquer outro crime no âmbito do desempenho das suas funções no INEM, e afirma-se disposto a continuar a colaborar com as autoridades sempre que seja entendido como necessário, "acreditando ser essa a oportunidade para se esclarecerem as verdadeiras razões que conduziram ao seu saneamento do INEM".

 

Na quinta-feira, ao final da tarde, a Procuradoria-Geral da República (PGR) esclareceu que o inquérito que envolve este instituto público e investiga suspeitas de corrupção, participação económica em negócio e abuso de poder não tinha, até ao momento, qualquer arguido constituído.

 

Uma fonte ligada ao processo tinha adiantado à Lusa que a investigação estava relacionada com casos de contratação pública ligados ao INEM.

 

A operação está a cargo da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da PJ, é dirigida e tem a participação de magistrados do Ministério Público (MP) da 9.ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar