Europa Ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls abandona Partido Socialista  

Ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls abandona Partido Socialista  

O ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls anunciou hoje que abandona o Partido Socialista, após 37 anos de militância, sublinhando que se enquadra na maioria parlamentar do novo presidente Emmanuel Macron.
Ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls abandona Partido Socialista  
Lusa 27 de junho de 2017 às 09:40

Numa entrevista à estação de rádio RTL, Valls disse que se "passou uma página", referindo-se às presidenciais franceses e às eleições legislativas que lhe garantiram a reeleição como deputado.

 

"Por coerência quero estar no centro desta maioria (liderada por Macron). Acaba-se uma parte da minha vida política", afirmou.

 

Manuel Valls apresentou a demissão do cargo de primeiro-ministro no final de 2016, participou no passado mês de Janeiro nas primárias do Partido Socialista, para a escolha do candidato às presidenciais, mas foi derrotado por Benoit Hamon ligado à ala esquerda dos socialistas francesas.

 

Hamon foi eliminado na primeira volta das eleições gerais, no dia 23 de Abril, não tendo o Partido Socialista ultrapassado os 6,2 por cento dos votos, um resultado historicamente baixo.

 

Duas semanas após a primeira volta das legislativas, Valls afirmou que o actual Partido Socialista estava "morto".

 

Manuel Valls apresentou-se como candidato do novo partido de Macron, República em Marcha, pela circunscrição de Evry, arredores de Paris, tendo sido eleito deputado.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub