Política Executivo reúne-se em Aveiro e promove sessão de perguntas que gera polémica

Executivo reúne-se em Aveiro e promove sessão de perguntas que gera polémica

O Governo assinala hoje dois anos em funções com um Conselho de Ministros extraordinário em Aveiro, seguido de uma sessão em que os membros do executivo respondem a questões colocadas por cidadãos, que está a gerar polémica.
Executivo reúne-se em Aveiro e promove sessão de perguntas que gera polémica
Pedro Elias
Lusa 26 de novembro de 2017 às 10:48

As duas iniciativas vão decorrer na Reitoria da Universidade de Aveiro, com o Conselho de Ministros a realizar-se a partir das 11:00, estando a sessão com o painel de cidadãos prevista para se iniciar às 15:00.

 

Na sexta-feira, o Executivo anunciou que as perguntas da sessão serão elaboradas pelos cidadãos que participam num inquérito quantitativo de avaliação ao segundo ano do Governo, organizado pela Universidade de Aveiro, sob coordenação do professor universitário Carlos Jalali.

 

Já no sábado, o jornal Sol noticiou que o Governo liderado por António Costa vai pagar 36.750 euros a um grupo de 50 cidadãos, que participa num estudo na Universidade de Aveiro e depois vai fazer perguntas ao Executivo.

 

Posteriormente, o ministro do Planeamento e das Infra-estruturas afirmou que as perguntas e os participantes na sessão para assinalar os dois anos de Governo são da responsabilidade da Universidade de Aveiro, rejeitando que haja pessoas contratadas.

 

Na plataforma dos contratos públicos online consta um contrato, no valor referido, referente à "aquisição de serviços de recrutamento de participantes para integrar um estudo quantitativo e uma sessão pública no âmbito da iniciativa de avaliação do segundo ano em funções do XXI Governo Constitucional", realizado com a Aximage Comunicação e Imagem Lda.

 

Um segundo contrato, este no valor de 19.000 euros, foi realizado com a Universidade de Aveiro tendo como objecto a "aquisição de serviços de desenho, realização de estudo quantitativo e moderação do grupo de inquiridos" no âmbito da mesma iniciativa.

 

O PSD e o CDS-PP já desafiaram, entretanto, o Governo a cancelar a sessão de perguntas, com o deputado do PSD Luís Montenegro a considerar que se trata de uma "encenação vergonhosa", "imoral, indigna e de uma ligeireza total".

 

Pelo CDS-PP, a líder do partido, Assunção Cristas, afirmou que se o executivo liderado por António Costa "tivesse um pingo de vergonha" cancelaria a sessão que organizou em Aveiro com recurso a pessoas alegadamente contratadas.

 

O PCP, num curto comunicado divulgado no sábado à noite, considerou que a realização de estudos de avaliação da ação do Governo deve ter "como preocupação e prioridade" a resposta aos problemas da população e do país, sendo "criticável a sua transformação em actos de promoção pública".

 

O Governo liderado por António Costa tomou posse há dois anos, depois de ter assinado acordos com o BE, PCP e PEV que lhe deram apoio parlamentar.




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A geringonça foi uma dádiva de Deus.Parabens Há 2 semanas

A direi-talha não tem espelho das patifarias que fez ao nosso País ,mas o povo tem memória das quadrilhas que criaram para sacar os bancos sem garantias para alguns amigos,offehores, submarinos,tecnoforma.mas o povo foi sábio correu com eles e bem,nasceu a geringonça que são sérios

Observador Há 2 semanas

Um FEDOR "democrático" pestilento e nauseabundo ,por outras palavras Ó COSTA já é tempo de não abusares da paciência do BLOCO E DOS COMUNAS ! A DIREITALHA está com Marcelo á cabeça á espera de RUI RIO ,sendo de ESQUERDA prefiro esta DIREITA a ir para o PODER !

Invicta Há 2 semanas

É esta tentação de julgar os outros parvos, que lhes dá o ânimo para fazerem estas fantochas de auto-propaganda. Claro que lá não vão estar os que poderiam fazer perguntas que incomodariam o desgoverno. Por isso, é propaganda e nada mais, paga com o dinheiro dos nossos impostos.

Anónimo Há 2 semanas

Não sei quem são os assessores do governo que o aconselham.Devem ganhar bem, mas até eu que não percebo nada de política, acho que ultimamente o governo só tem dado tiros nos pés.Veja-se o caso Infarmed, agora as perguntas combinadas que vão ser pagas por todos nós, etc, etc.

ver mais comentários
pub