Conjuntura Exportações e importações crescem mais de 12% no primeiro semestre

Exportações e importações crescem mais de 12% no primeiro semestre

Apesar da travagem brusca no mês de Junho, o primeiro semestre do ano foi marcado por um aumento quer das exportações quer das importações acima dos 12%. O que ainda assim, corresponde a um abrandamento do ritmo face ao mesmo período do ano passado.
Exportações e importações crescem mais de 12% no primeiro semestre
Bruno Simão
Sara Antunes 09 de agosto de 2017 às 11:26

As exportações de bens aumentaram 12,1% no primeiro semestre do ano, enquanto as importações cresceram 14,5%, refere o Instituto Nacional de Estatística (INE) no relatório sobre o comércio internacional publicado esta quarta-feira, 9 de Agosto.

Há um ano, quer um indicador quer o outro caíram, o que significa que este primeiro semestre do ano está a ser positivo para o comércio internacional do país. Ainda assim, quando avaliados os dados acumulados ao longo do ano, o ritmo de crescimento dos dois componentes abrandou no final destes seis meses. 

 

"Excluindo os Combustíveis e lubrificantes e em termos homólogos, em Junho de 2017 as exportações aumentaram 7,4% e as importações cresceram 7,7%", acrescenta o INE.


Isolando o último mês do período, Junho, observa-se uma travagem do comércio, quer ao nível das vendas para fora do país, quer na compra de bens a outros países. Assim, no sexto mês do ano, Portugal exportou mais 6,8% de bens do que há um ano. Enquanto as importações aumentaram 7,1%. No mês anterior as exportações tinham aumentado 15,6% e as importações quase 22%.

A contribuir para o crescimento menos acentuado das exportações em Junho esteve a quebra das vendas do país para a Alemanha, Estados Unidos e Marrocos. Já no lado das importações, Portugal comprou menos ao Reino Unido, à Rússia e ao Brasil, o que dito um abrandamento do crescimento das compras ao exterior.

Espanha continua a ser o maior parceiro económico de Portugal, com o país a ser o destino de mais de um quarto das exportações do nosso país, e a ser o fornecedor de mais de 30% das compras que fazemos fora de portas. 

(Notícia actualizada às 11:55 com mais informação)