Conjuntura Exportações sobem 7,6% em Novembro

Exportações sobem 7,6% em Novembro

Depois da queda de Outubro, as vendas para o exterior voltaram a recuperar em Novembro, crescendo 7,6% em relação ao mês homólogo. Porém, as importações subiram mais.
Exportações sobem 7,6% em Novembro
Miguel Baltazar/Negócios
Marta Moitinho Oliveira 09 de janeiro de 2017 às 11:20
As exportações de bens cresceram 7,6% em Novembro do ano passado em relação ao mesmo mês do ano anterior, revelam dados publicados esta segunda-feira, 9 de Janeiro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Este aumento mostra uma recuperação face ao comportamento de Outubro. As importações também apresentaram um aumento, com as compras a subirem 8,4%.

"Em Novembro de 2016, em termos das variações homólogas mensais, as exportações cresceram 7,6% (-3,5% em Outubro de 2016), principalmente devido ao aumento de 16,6% registado no Comércio Extra-União Europeia (-2,5% em Outubro de 2016)", revela o INE. 

As vendas para fora do espaço comunitário aumentaram 16,6%, com Angola a desempenhar um papel relevante para o comportamento das exportações. As vendas para este país aumentaram 16,8%.

Também as exportações para Espanha e Alemanha contribuíram para este crescimento, com as taxas de crescimento de 8,7% e de 5,6%, respectivamente.

O INE adianta ainda quais foram os produtos exportados que mais contribuíram para a evolução das vendas para o exterior: "Em Novembro de 2016, nas exportações todas as categorias económicas aumentaram face ao mês homólogo de 2015, com maior destaque nos produtos alimentares e bebidas (+14,4%) e nas máquinas e outros bens de capital (12,4%)".

Esta evolução permitiu uma recuperação das exportações em relação a Outubro, quando as vendas para o estrangeiro tinham caído 3,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

As importações revelaram também uma recuperação, passando de uma queda de 1,8% para um crescimento de 8,4%. Esta inversão de tendência aconteceu "em resultado das importações Intra-União Europeia que cresceram 11,7% (-0,5% em Outubro de 2016), já que as importações Extra-UE registaram uma diminuição (-3,0%)", justifica o instituto estatístico. 

"Os maiores aumentos em relação ao mesmo mês de 2015 verificaram-se no material de transporte e acessórios (+13,8%), nos bens de consumo (+11,8%) e nas máquinas e outros bens de capital (+11,0%). Os combustíveis e lubrificantes registaram uma redução (- 7,1%), devido aos óleos brutos de petróleo", explica o INE.

O instituto estatístico avança ainda quais os países que mais contribuíram para a evolução das compras ao exterior: "Nas importações, no âmbito dos maiores países fornecedores em 2015, em Novembro de 2016 apenas três países registaram reduções face ao mês homólogo de 2015: Estados Unidos (-10,4%), Reino Unido (- 1,2%) e Angola (-0,8%). Os restantes países registaram aumentos, com maior destaque para os Intra-UE, principalmente Espanha e Alemanha".   

Em relação ao mês anterior, tanto as exportações como as importações apresentaram aumentos, de 6,8% e de 4,3%, respectivamente. 

"O défice da balança comercial de bens atingiu 791 milhões de euros em Novembro de 2016, representando um aumento de 91 milhões de euros face ao mês homólogo de 2015. O défice da balança comercial excluindo os combustíveis e lubrificantes situou-se em 546 milhões de euros, mais 135 milhões de euros que no mesmo mês de 2015."
(Notícia actualizada às 12:02 com mais informação)



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 09.01.2017

Quando for apurada o saldo da Balança Comercial de Bens e Serviços vamos verificar que o saldo positivo da Balança Comercial de Portugal melhorou face a 2015! Com as empresas nacionais a venderem cada vez mais serviços e com o crescimento do turismo vamos continuar a melhorar o saldo comercial ;-)

Curoka 09.01.2017

temos de ir com calma
tenho ações da bolsa
não quero ficar agarrado.

pepega 09.01.2017

O problema é que tudo isto está a ser feito à custa da subida das Importações 8,4% e do Defice da Balança Comercial ... no fundo mais Endividamento. Como tal, o que podia ser uma boa noticia na realidade não o é

Anónimo 09.01.2017

É este o caminho. continuar a aumentar as exportações! já se sabia disso há 5 anos e só foi pena termos perdido o último ano com divagações parvas sobre consumos internos. PPC estava correcto.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub