Conjuntura Exportações crescem acima das importações no segundo melhor mês de sempre

Exportações crescem acima das importações no segundo melhor mês de sempre

O crescimento das vendas e compras de mercadorias abrandou em Portugal no mês de Novembro, com a travagem a ser mais acentuada nas importações. O volume de vendas de bens ao exterior atingiu o segundo valor mais elevado de sempre.
Exportações crescem acima das importações no segundo melhor mês de sempre
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 09 de janeiro de 2018 às 11:12

As exportações de mercadorias aumentaram 11,9% em Novembro, face ao mesmo mês do ano passado, registando um aumento mais forte do que o registado pelas importações, que no mesmo mês aumentaram 10,4%, revelou o INE.

 

Quer as vendas quer as compras de bens ao exterior registaram um abrandamento no crescimento face ao registado no mês anterior. Em Outubro as exportações de bens tinham subido 12,8%, face ao mesmo mês do ano passado, após terem avançado 5,7% em Setembro. Já as importações tinham aumentado 21,1%, acelerando face à subida de 8,3% verificada no mês anterior.

 

A evolução em Novembro inverte a tendência dos últimos meses, marcados por um crescimento mais forte das importações do que das exportações.

Agosto tinha sido o último mês em que as exportações (+13,9%) tinham crescido acima das importações (+12,8%). Apesar da inversão, a balança comercial em Novembro situou-se 867 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 17 milhões de euros face ao mês homólogo de 2016.

Segundo mês acima dos 5 mil milhões 

O relatório revelado hoje pelo INE mostra que prossegue a dinâmica positiva nas exportações portuguesas. O volume de mercadorias vendidas ao exterior em Novembro ascendeu a 5.217 milhões de euros, o que representa o segundo melhor mês de sempre (só em Março de 2017 foi superior: 5.241 milhões de euros).

Novembro foi apenas o segundo mês de sempre em que as exportações superaram os 5 mil milhões de euros num só mês. Para se ter uma ideia de como têm crescido as exportações em Portugal, o registo dos 4 mil milhões num só mês foi atingido pela primeira vez em Março de 2012.

 

Do lado das importações, e apesar do abrandamento mais forte, o volume de compras ao exterior situou-se acima dos 6 mil milhões de euros em Novembro, o que também representa um dos meses mais fortes de sempre. Esta fasquia também foi superada em Março, Maio, Outubro e Novembro.   

 

Tendo em conta as evoluções mensais registadas até Novembro, a taxa de crescimento no acumulado do ano de 2017 (nas exportações e também nas importações) deverá situar-se acima dos 10%.   

 

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, que têm um forte peso na balança comercial, as exportações aumentaram 12,8% e as importações cresceram 7,8%, o que também representa um abrandamento face ao registado em Outubro. Neste âmbito, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 430 milhões de euros, correspondente a uma diminuição do défice em 171 milhões de euros em relação ao mesmo mês de 2016.



(notícia actualizada às 12:19 com mais informação. Título alterado)

 




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 09.01.2018

Este último anónimo a comentar esta notícia fala do défice no trimestre que termina em novembro, para não falar do superávit ANUAL em 2017.

Ou seja, mesmo com um défice trimestral pontual, o País irá reportar 0,9% do PIB em superávit

Anónimo 09.01.2018

No trimestre terminado em Nov o defice comercial foi de 3,6 mil milhões €( 2,2 com Espanha, 1,4 com resto Zona €).
Mas não há nada como uma noticia optimista para descrever um desastre. E está aí o pessoal da bandeja e da limoeza a servir turistas, por 600 €/mês, para equilibrar as contas.

Anónimo 09.01.2018

O meu país tem este problema, iletrados..demasiada gente que nao foi à escola e agora não conseguem ler uma notícia sem um gráfico ou uma ajuda!!

Eu ajudo:

Só por duas vezes na HISTÓRIA portuguesa as exportações superaram os 5 mil milhões!!

Em março de 2017 e em novembro de 2017 (inédito)

julio 09.01.2018

O Anónimo da treta aí de baixo, que debita imbecilidades à velocidade da luz, pega na sua lupa e procura sempre qualquer coisa de menos positivo, por melhores que sejam as notícias, os dados, os números.
Cegueira ou facciosismo levado ao extremo.
Mete dó.

ver mais comentários
pub