Conjuntura Exportadoras já geram mais 35% do volume de negócios das empresas portuguesas

Exportadoras já geram mais 35% do volume de negócios das empresas portuguesas

As empresas portuguesas consideradas exportadoras já geravam, em 2015, 35,2% das vendas feitas pela totalidade do tecido empresarial nacional, mostram os dados publicados pelo INE.
Exportadoras já geram mais 35% do volume de negócios das empresas portuguesas
Bruno Simão
Nuno Aguiar 31 de julho de 2017 às 11:45

Entre 2010 e 2015, o número de empresas exportadoras aumentou – de 4,6% para 6,2% do total -, mas a verdadeira transformação parece ter ocorrido no seu peso no volume de negócios total. Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), em cinco anos, de 26,3% as exportadoras passaram a representar 35,2% das vendas totais feitas em Portugal.

Este peso é especialmente sentido nas empresas de maior dimensão. Enquanto nas microempresas, menos de um em cada dez euros do volume de negócios vem de grupos que exportam pelo menos metade das suas vendas - ou 10%, se forem exportações superiores a 150 mil euros -, nas grandes empresas essa percentagem supera os 43% (valores médios entre 2010 e 2015).

Isso justifica-se, em parte, pela dificuldade que existe em encontrar uma pequena empresa exportadora. Apenas 3,8% das microempresas o são, ao passo que quase 40% das grandes empresas são classificadas dessa forma pelo INE.




O instituto explica que a principal característica destas empresas exportadoras é precisamente a sua maior dimensão quando comparada com a média nacional. Uma empresa exportadora tem um volume de negócio médio de mais de cinco milhões de euros e 28 trabalhadores ao serviço, o que compara com cerca de 620 mil euros e 6 trabalhadores para as empresas que não têm o carimbo de exportadoras.

"As sociedades com perfil exportador são particularmente relevantes nos sectores da Indústria e Transportes e armazenagem, representando em média mais de metade do volume de negócios dessas actividades no período 2010- 2015", pode ler-se no destaque do INE. "Na situação oposta, encontram-se o Alojamento e restauração e o Comércio, sectores onde estas sociedades representavam em média menos de 15% do volume de negócios."

Também aqui o perfil diferencia-se do resto do país. Por exemplo, a indústria é responsável por mais de metade do volume de negócio gerado pelas empresas exportadoras, mas apenas por 10% entre todas as outras empresas. "O sector do Comércio também apresentou uma relevância significativa no seio das sociedades com perfil exportador (14,5% do volume de negócios e 8,4% no pessoal ao serviço), apesar deste sector ser o que deteve o maior peso em termos de volume de negócios no conjunto das sociedades sem perfil exportador (49,6%)", acrescenta o INE. 

Os dados publicados hoje, 31 de Julho, mostram também que as empresas exportadoras têm sido mais dinâmicas entre 2010 e 2015, com taxas de crescimento sempre superiores às não-exportadoras. Em 2015, estas últimas cresceram 1,5%, enquanto aquelas que vendem ao exterior viram o seu volume de negócios aumentar 5%.

Além disso, as empresas exportadoras têm também sido mais rentáveis, mais produtivas, têm mais autonomia financeira e menos prejuízos.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pierre Ghost Há 3 semanas

...aqui se vê como eles são covardes...
Nem aparecem...claro...devem estar a lamber os tintins ao bosta....
E o ministrinho da economia fantasma não dá os parabens ao PPC-PSD ??
Porcos...vermes...acéfalos...bancarroteiros...

Pierre Ghost Há 3 semanas

...pois é....
Esta noticía os acéfalos dos xuxas nao comentam !!!
O guarda livros do brinquinho que veja bem o tipo de economia que faz crescer um país !!!!
Vermes !!!

Pierre Ghost Há 3 semanas

...e é graças a quem ??..ora digam lá ??
Claro...graças ao Passos Coelho e as reformas feitos durante o seu mandato!!
E este valor poderia estar em 40..ou 45%...caso o poucochinho e os xuxas nao revertessem e continuassem a mesma politica !!
Qual consumo interno !! Qual porra !!
EXPORTAÇÕES !!!

José Ferreira da Silva Há 3 semanas

Só sairemos da crise quando esse valor for Superior a 65 % . Ainda esta tudo por fazer.

ver mais comentários
pub