Política Monetária Exposição da banca nacional ao exterior vale metade do PIB

Exposição da banca nacional ao exterior vale metade do PIB

Os bancos portugueses têm activos garantidos por entidades estrangeiras de 85 mil milhões de euros, revelou o Banco de Portugal.
Exposição da banca nacional ao exterior vale metade do PIB
Miguel Baltazar
Rui Peres Jorge 12 de Outubro de 2016 às 13:49

A exposição dos bancos portugueses a economias estrangeiras ascendia a 85 mil milhões de euros no final do primeiro semestre, revelou o Banco de Portugal na quarta-feira, dia 12 de Outubro. Do total de activos financeiros no estrangeiro cerca de dois terços está concentrado na União Europeia. Fora da UE destacam-se a exposição a Angola e Moçambique que, juntamente com a Polónia, explicam a redução no valor dos activos detidos pelas sucursais de bancos nacionais nestes países.

"Na óptica do risco de última instância, o valor dos activos financeiros internacionais detidos pelos bancos portugueses no final do segundo trimestre de 2016 cifrou-se em 85 mil milhões de euros, o que traduz uma redução de aproximadamente 2,5 mil milhões de euros em comparação ao primeiro trimestre de 2016", lê-se numa nota do Banco de Portugal, que explica a redução com a "evolução dos activos locais das sucursais dos bancos portugueses, sobretudo em Angola, Moçambique e Polónia".

A medição da exposição externa na óptica de risco de última instância considera os activos dos bancos portugueses sobre entidades residentes em Portugal, mas que na verdade são garantidos por entidades estrangeiras e exclui os activos sobre entidades estrangeiras que, em última instância, sejam garantidos por entidades nacionais.

Considerando apenas o risco imediato, ou seja, os activos sobre entidades não residentes que, em primeiro lugar terão de responder por eles, então a exposição da banca nacional ao exterior é ligeiramente inferior: 84 mil milhões de euros.

"À semelhança do verificado nos últimos anos, os bancos portugueses detêm uma maior exposição aos BRICS. Outros [países] e PALOP em risco de última instância do que em risco imediato, situação inversa da que ocorre em relação aos Estados-Membros da União Europeia. Neste caso a exposição ao risco imediato tem sido sistematicamente superior, apesar de se ter verificado uma redução em relação ao primeiro trimestre de 2016", explica o banco central.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


O VERDADEIRO SOCIALISTA

Um verdadeiro socialista defende a igualdade (critérios iguais) e a justiça para todos os cidadãos.

Ao contrário de muitos portugueses que se dizem socialistas (incluindo os do governo), mas que apenas defendem os interesses particulares de alguns grupos privilegiados…

Em detrimento dos restantes cidadãos (a maioria dos portugueses) que são cada vez mais sacrificados para sustentar os privilégios, as mordomias, as regalias e as benesses desses grupos (FP & CGA).

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas



Comemorações Oficiais

FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


400 milhões de Euros para aumentar as pensões mínimas, são migalhas em comparação com...

os mais de 4600 milhões de euros que o Estado injetou, em 2015 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o financiamento do buraco anual das pensões da CGA.



Jose Manuel Há 3 semanas

E bom? Mau?

Francisco Manuel Sacoto Silva Há 3 semanas

Não aparece o piolhoso nojento PIDE cavaco silva

Francisco Manuel Sacoto Silva Há 3 semanas

Estou muito triste porque já faz tempoq ue aqui não aparece

ver mais comentários
pub