Economia Fábricas da Alemanha recebem mais encomendas do que antes da crise

Fábricas da Alemanha recebem mais encomendas do que antes da crise

Foi inesperado: a estimativa dos economistas era que houvesse uma quebra do indicador que mede as encomendas às fábricas germânicas. Mas houve uma subida. A terceira seguida.
Fábricas da Alemanha recebem mais encomendas do que antes da crise
Reuters
Diogo Cavaleiro 06 de dezembro de 2017 às 07:56

Pelo terceiro mês consecutivo, as encomendas às fábricas alemães subiram face ao mês anterior. Pelo terceiro mês consecutivo, as empresas germânicas ficaram encarregues de uma maior produção do que antes da crise financeira iniciada em 2007.

 

As novas encomendas à indústria da maior economia da Zona Euro aumentaram, em termos ajustados de efeitos sazonais e de calendário, 0,5% em Outubro face ao mês anterior, segundo divulgou o Destatis, o gabinete de estatísticas da Alemanha.

 

O número é diferente do antecipado pelos economistas, já que tanto os dados compilados pela Bloomberg como pela Reuters apontavam para um decréscimo. Além do crescimento inesperado, o valor de Setembro foi revisto em alta, passando de uma primeira leitura de 1% para 1,2%.

 

De acordo com os dados publicados esta quarta-feira, 6 de Dezembro, as encomendas nacionais avançaram 0,4% enquanto as internacionais registaram um incremento de 0,5%. Neste último campo, foi de fora da Zona Euro que veio o impulso.

 

O crescimento das encomendas é "muito refrescante", segundo comentou o Ministério da Economia, citado pela agência Bloomberg. "Ao mesmo tempo, a confiança das empresas atingiu um novo recorde em Novembro. A tendência na indústria continua a seguir uma linha fortemente ascendente".

 

Foi em Setembro que se iniciou o período de incerteza política na Alemanha, depois de Angela Merkel conquistar as eleições sem, contudo, ter conseguido ainda encontrar parceiros que sustentem uma coligação governamental maioritária. No entanto, por enquanto, a maior economia da Zona Euro continua a registar um momento de crescimento. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub