Economia Falhas no SIRESP deixaram vítimas sozinhas e sem ajuda, revela caixa negra da protecção civil

Falhas no SIRESP deixaram vítimas sozinhas e sem ajuda, revela caixa negra da protecção civil

O comando operacional de Pedrógão ficou incontactável, os bombeiros sem combustível e a precisar de ajuda e as populações cercadas pelo fogo. Conteúdo da “caixa negra” da protecção civil, com registo das comunicações, é hoje divulgado pelo Público e pelo Jornal de Notícias.
Falhas no SIRESP deixaram vítimas sozinhas e sem ajuda, revela caixa negra da protecção civil
Reuters
Negócios 27 de junho de 2017 às 09:19

Um cenário de caos, com pessoas a pedir ajuda sem que fosse possível dar-lhes uma resposta, algumas das quais, sabe-se hoje, acabariam por morrer enquanto fugiam do incêndio. A informação consta do Sistema de Apoio à Decisão operacional (SADO), uma espécie de "caixa negra" da Protecção Civil, cujo conteúdo é revelado esta terça-feira, 27 de Junho, pelo Público e pelo Jornal de Notícias.

 

A fita do tempo das comunicações entre as 19:45 de sábado, dia 17, e as 3:31 de segunda-feira, 19, reveladas na íntegra pelo Público, mostram que em pelo menos uma dezena de casos os contactos realizados através do SIRESP falharam, impedindo que fosse dada ajuda às populações em perigo. As várias forças envolvidas no combate à chamas não conseguiram comunicar entre si nem organizar-se na resposta a dar.

 

A informação, escreve o Público, foi disponibilizada ao primeiro-ministro logo a 23 de Junho, depois da a Autoridade Nacional da Protecção Civil ter reconhecido a existência de algumas falhas no SIRESP.

 

Esta segunda-feira, 26, a Ministra da Administração Interna ordenou a realização de uma auditoria pela Inspecção-geral da Administração Interna. O objectivo é avaliar o cumprimento das "obrigações legal e contratualmente estabelecidas, designadamente ao nível da gestão, manutenção e fiscalização" e o relatório de auditória deverá  estar concluído no prazo de 30 dias.

 

Constança Urbano de Sousa quer que o Instituto de Telecomunicações (IT) elabore um estudo independente sobre o funcionamento do SIRESP em geral, e em situações de acidente grave ou catástrofe, em particular.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 27.06.2017

Isto é que é o ASSUNTO que habilmente os xuxas andam a tentar fugir..O assunto não são as declarações de PPC!! Não só já vários dos elementos interveninentes foram apanhados a MENTIR, como ninguém quer assumir responsabilidades pela solução que contrataram. Aliás ao ver reproduzido parte do contrato com o SIRESP não dá vontade de rir, dá vontade e encarcerar muita gente!
Portanto todo este caso é um somatório de pouca vergonha, irresponsabilidade, falta de seriedade e desprezo pelos cidadãos.
A deputada Ana Catarina Mendes, nas suas declarações no facebook sobre PPC, é uma das que personifica o mais reles e pouco higiénico que existe na classe politica Portuguesa.
Lamento que Ana Catarina Mendes não se mostrasse tão indignada aquando do caso do seu marido Paulo Pedroso e da interferência de Ferro Rodrigues, e António Costa na tentativa de limitar o poder judicial. Estes apanhados em escutas..Apenas para lembrar quem são os actuais dirigentes deste país https://youtu.be/y9yIDxJ2fE4

comentários mais recentes
Anónimo 27.06.2017

Depois dos Boatos Criminosos de Passos Coelho,PSD, e o representante da Santa Casa Misericórdia, já nada interessa. N concordo que o dinheiro vá para as Misericórdias, o que percebi, naquela terra, com aquele representante da Santa Casa se não for PSD fica a ver a Banda Passar, N confio na Stª Casa.

È prender os incêciarios 27.06.2017

São todos culpados que moram naquela zona todos rodeados de mato até há porta de casa,os criminosos tiveram vida facilitada,os Presidentes de Câmara tem muitas responsabilidades no desleixo deles e das populações,continuem a dar o voto a desleixados.depois queixem acordem.

FVV 27.06.2017

Olha lá ò mais votado? Eu não defendo aqui ninguém. Apenas porque tenho um olho de cada lado do nariz, vejo com um e confirmo com o outro.
Esse tal Pedroso toda a gente sabe quem é, tal como sabem quem é o Proxeneta do Bairro Alto.
Não seria de bom tom ficares calado? O teu telhado é de vidro.

oluapaxe 27.06.2017

A culpa é do siresp. Por amor de deus! Visto que no contrato esta escrito que em caso de emergência o sistema não funcionar não é responsabilidade do siresp. Logo esta a cumprir as clausas do contrato a culpa não é do sisrep.
A culpa é de passos, a culpa é das trovoadas, a culpa é dos mirones, a culpa é de S.Pedro que não mandou chuva a culpa é das arvores de ardem a culpa é de todos menos de quem nos governa.
DEMISSÃO JÁ para passos, pedidos de explicações a S.Pedro, processos disciplinares as arvores que arderam e multas pesadas para que assistiu a esta desgraça.
O costa é o seu desgovernos são umas vitimas da situação e do aproveitamento politico de passos.
PASSOS RUA JÀ

ver mais comentários
pub