Economia Família ainda é a principal motivação para emigrar
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Família ainda é a principal motivação para emigrar

A família mantém o peso histórico como impulsionador maior da emigração para a Europa, mas nas gerações mais jovens já é quase igualada pela questão do emprego. Maioria dos portugueses sai sem emprego garantido no país de destino.
Família ainda é a principal motivação para emigrar
António Larguesa 07 de agosto de 2017 às 22:07

Mais de metade (54%) dos emigrantes portugueses continua a abandonar o país por razões familiares, sendo este o motivo mais invocado em todos os grupos etários, dos 15 aos 64 anos, abrangidos num estudo publicado pelo INE, com

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Caros jornalistas, na Austrália e territórios equiparáveis, já se faz disto no sector público, da administração central à local. São economias e sociedades mais avançadas, que não perdem soberania, não vão à falência, não pedem resgates, não têm emigração forçada e em massa à saída da faculdade, não têm pobres full-time a ordenado mínimo, etc. "...there has been a significant investment in technology to drive a much more contemporary and responsive workforce," www.bordermail.com.au/story/3919912/council-job-cuts-a-slap-in-the-face/

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

O BE que fazia de carpideira na lamentável figura nos Aeroportos com as TVs. Agora com a agravante da taxa aeroportuária, são mudos e calados!

Anónimo Há 2 semanas

O COSTA despede jovens de Portugal, sem indemnização e ainda os obriga a pagar taxa aeroportuária. Nem o Salazar se atreveu a tanto.

Anónimo Há 2 semanas

Caros jornalistas, na Austrália e territórios equiparáveis, já se faz disto no sector público, da administração central à local. São economias e sociedades mais avançadas, que não perdem soberania, não vão à falência, não pedem resgates, não têm emigração forçada e em massa à saída da faculdade, não têm pobres full-time a ordenado mínimo, etc. "...there has been a significant investment in technology to drive a much more contemporary and responsive workforce," www.bordermail.com.au/story/3919912/council-job-cuts-a-slap-in-the-face/

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub