Conjuntura Famílias portuguesas mais confiantes. Empresários mais pessimistas

Famílias portuguesas mais confiantes. Empresários mais pessimistas

Depois de três meses em queda, o indicador que mede a confiança das famílias portuguesas subiu em Setembro e Outubro. Já a confiança dos empresários inverteu a tendência de recuperação.
Famílias portuguesas mais confiantes. Empresários mais pessimistas
Paulo Duarte
Nuno Carregueiro 28 de Outubro de 2016 às 09:58
Os consumidores portugueses mostraram-se mais confiantes nos meses de Setembro e Outubro, depois de três meses de quedas, de acordo com os Inquéritos de Conjuntura às Empresas e aos Consumidores divulgados esta sexta-feira, 28 de Outubro, pelo Instituto Nacional de Estatística.

Esta melhoria no sentimento das famílias ficou a dever-se ao "contributo positivo de todas as componentes, perspectivas relativas à evolução da situação económica do país, da situação financeira do agregado familiar, da poupança e do desemprego", refere o INE.
 
Outubro foi o mês de apresentação da proposta do Orçamento do Estado, que traz um alívio fiscal para a maioria das famílias portuguesas.
 
O saldo das expectativas relativas à situação económica do país aumentou em Setembro e Outubro, após ter diminuído nos três meses anteriores. Já a opinião das famílias sobre a evolução da situação financeira do agregado aumentou em Outubro para um máximo desde Novembro de 2001.
 
A expectativa sobre a "realização de compras importantes" atingiu um máximo desde Abril de 2010 e as perspectivas relativas à evolução do desemprego diminuiu em Setembro e Outubro, após ter aumentado nos quatro meses anteriores.
 
No que diz respeito à confiança dos empresários, medida pelo indicador de clima económico, a tendência foi negativa. O INE assinala uma queda de "forma ténue em Outubro mas manteve-se próximo dos valores registados nos dois meses anteriores".
 
O indicador de confiança da Indústria Transformadora aumentou, após ter estabilizado no mês anterior, enquanto o indicador de confiança da Construção e Obras Públicas também evoluiu de forma positiva.
 
Já o indicador de confiança do Comércio diminuiu ligeiramente em Outubro, "reflectindo o contributo negativo do saldo das opiniões sobre o volume de vendas". Nos serviços o indicador de confiança também diminuiu ligeiramente.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana


PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO AOS FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana


Justiça

Todas as pensões da FP, devem ter um corte imediato de 50% (acaba-se logo com o défice orçamental)!

????? Há 1 semana

Este mais votado sem ter votos é o tal gajo que o JdN paga para?

Anónimo Há 1 semana


PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO AOS FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

pub
pub
pub
pub