Américas FBI envolve Nigel Farage na investigação Trump-Rússia

FBI envolve Nigel Farage na investigação Trump-Rússia

Não é suspeito nem acusado de nenhuma prática incorrecta, mas poderá estar no centro do triângulo Trump - Wikileaks - Kremlin. O ex-líder do Ukip nega qualquer contacto com as autoridades russas.
FBI envolve Nigel Farage na investigação Trump-Rússia
Twitter de Nigel Farage
Negócios 01 de junho de 2017 às 13:37

O antigo presidente do partido independentista britânico Ukip, Nigel Farage, foi considerado pelo FBI como podendo estar na posse de dados considerados importantes para a investigação em curso sobre a relação entre a campanha de Donald Trump e personalidades russas.

O jornal britânico The Guardian, que avança a notícia citando fontes próximas da investigação, refere que em causa estão as relações entre Farage, partidário do Brexit, a campanha de Trump e Julian Assange.

Farage, que apoiou Trump e esteve em acções de campanha do agora presidente dos Estados Unidos, encontrou-se em Março com Assange, o fundador da plataforma WikiLeaks que disponibilizou e-mails pirateados durante a campanha presidencial dos EUA que penalizaram a candidata democrata Hillary Clinton.

Além disso, a WikiLeaks é suspeita de ter obtido os e-mails junto de "hackers" russos que trabalhavam para duas agências de espiões em Moscovo – a GRU e a FSB – algo que Assange nega. A divulgação das mensagens de correio electrónico prejudicou a campanha de Clinton e ajudou a de Trump, dizem fontes dos serviços de inteligência dos EUA.

O ex-líder do partido independentista não é suspeito ou acusado de qualquer prática ilegal, mas poderá estar na posse de informação que facilite a investigação em curso. "Ele está no centro destas relações. (…) Há muita atenção a recair sobre ele," disse uma fonte de investigação ao Guardian, que admitiu a delicadeza do procedimento, dado que Farage é eurodeputado.

"Nigel nunca esteve na Rússia, muito menos trabalhou com as suas autoridades," afirmou um porta-voz de Farage ao jornal. À Reuters, o mesmo porta-voz afirmou que o único político russo relevante com que Nigel esteve foi Garry Kasparov," o campeão de xadrez opositor de Putin. Trump tem negado também qualquer conluio com Moscovo.

Farage considerou Putin o líder político que mais admirava em 2014 e os contactos com aquela que viria a ser a campanha de Trump remontam a 2012, quando conheceu o estratega Steve Bannon.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub