Economia Fed diz que economia dos EUA cresceu a um ritmo modesto a moderado

Fed diz que economia dos EUA cresceu a um ritmo modesto a moderado

Nas últimas semanas, a economia continuou a crescer em todo o território norte-americano, a um ritmo modesto a moderado, diz o Livro Bege da Reserva Federal.
Fed diz que economia dos EUA cresceu a um ritmo modesto a moderado
Bloomberg
Carla Pedro 06 de setembro de 2017 às 19:31

A Reserva Federal norte-americana anunciou esta quarta-feira, no seu Livro Bege, que o crescimento do país foi "modesto a moderado" nos últimos dois meses – entre inícios de Julho até ao final de Agosto. O mercado laboral manteve-se sólido, sem grandes pressões salariais, e o sector automóvel emergiu como uma das possíveis fontes de debilidade.

 

No seu Livro Bege, a Fed sinaliza que os gastos das famílias, despesas de capital e produção industrial estiveram em crescimento.

 

Quanto aos resultados sobre produção automóvel e vendas de carros, estes foram mistos. "Os contactos, em muitos distritos, manifestaram receios de uma desaceleração prolongada no sector automóvel", refere o relatório.

 

Os responsáveis da Fed têm acompanhado os dados económicos muito de perto, para poderem determinar quando deverão voltar a subir os juros (naquela que será a terceira vez este ano), mas a inflação continua muito aquém da meta dos 2% (1,4% em Julho).

 

O ritmo de expansão foi repartido entre "modesto e moderado" nas 12 regiões distritais abrangidas por esta análise do Livro Bege – que se baseia em sondagens económicas levadas a cabo pelos 12 bancos regionais da Fed em todo o país e que é publicado oito vezes por ano.

 

No que diz respeito à inflação, os preços subiram modestamente, de acordo com o mesmo documento.

 

O Livro Bege é divulgado duas semanas antes de os responsáveis da Fed tomarem nova decisão quanto à política monetária do país. A próxima reunião do Comité Federal do Mercado Aberto (FOMC) da Fed está agendada para 19 e 20 de Setembro, em Washington.

 

No passado dia 15 de Março, o FOMC concluiu a reunião de dois dias de política monetária anunciando uma subida de 25 pontos dos juros directores, para um intervalo compreendido entre 0,75% e 1%.

 

Posteriormente, a 14 de Junho, procedeu à segunda subida do ano (a terceira desde que a autoridade monetária iniciou o processo de normalização de política monetária, em Dezembro de 2016) para um intervalo entre 1% e 1,25%.

 

A autoridade monetária presidida por Janet Yellen tem dado sinais de que este ano serão três as subidas dos juros directores. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub