Autarquias Fernando Medina: Taxa de protecção civil em Lisboa "não é inconstitucional"

Fernando Medina: Taxa de protecção civil em Lisboa "não é inconstitucional"

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina (PS), rejeitou hoje que a taxa de protecção civil que o município aplica seja "inconstitucional" e defendeu que a sua continuidade é "essencial" para a melhoria do serviço prestado.
Fernando Medina: Taxa de protecção civil em Lisboa "não é inconstitucional"
Bruno Simão
Lusa 15 de novembro de 2017 às 14:59

"É fundamental manter e aplicar esta taxa para que se possa continuar a investir na protecção civil. Este é um momento em que todos os lisboetas e todos os portugueses percebem a necessidade de termos bombeiros bem formados e bem equipados", afirmou o autarca socialista.

 

Fernando Medina, que falava aos jornalistas à margem de um encontro para anunciar medidas de combate à seca, comentava assim uma recomendação feita na terça-feira pelo Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal para o fim da taxa de protecção civil de Lisboa.

 

A recomendação foi chumbada com os votos contra do PS e do PAN e a abstenção de quatro eleitos independentes e dos deputados municipais do CDS-PP e do PPM.

 

O documento pedia ao executivo que "submetesse à Assembleia Municipal uma proposta de suspensão da eficácia, até à decisão pelo Tribunal Constitucional (...) da Taxa Municipal de Proteção Civil".

 

"Eu estou convencido da constitucionalidade desta taxa e irei defendê-la até ao fim. A lei define que a protecção civil é também responsabilidade das autarquias. Os lisboetas sabem que aquele dinheiro é destinado para aquele fim e não pode ser utilizado para outros", ressalvou.

 

A Taxa Municipal de Proteção Civil de Lisboa começou a ser cobrada aos proprietários em 2015 e veio substituir a Taxa de Conservação e Manutenção dos Esgotos, que se juntou à do saneamento.

 

Na quarta-feira é o último dia para os proprietários procederem ao seu pagamento.

 

O Tribunal Constitucional encontra-se a analisar a taxa da capital, depois de ter considerado inconstitucional o imposto semelhante cobrado no município de Vila Nova de Gaia.




A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Só alguns é que pagam essa taxa. Não bastou aumentarem a taxa de conservação de esgotos, dando - lhe outro nome ( taxa de saneamento ), e diluída em 12 meses, para não se topar. Mas quando se necessita que a câmara resolva algum problema, nem resposta. A junta chuta para a câmara e vice - versa.

Jorge Cunha Há 4 semanas

A taxa de proteção civil é claramente inconstitucional. Só Merdina é que pensa que não.
Aconselho TODOS a não pagarem a taxa e aguardar a decisão do TC. Se pagam...nunca mais têm o dinheiro de volta.
A CML não tem munícipes, só tem pagadores de taxas. Se tivesse vergonha suspendia a su cobrança

Hei-de apanhar um bombeiro a jeito Há 4 semanas

Quando apanhar um bombeiro a jeito, de preferencia o comandante ou aquele ranhoso presidente da assembleia do sporting, pagam as taxas todas que paguei e mais as que virei a pagar

pertinaz Há 4 semanas

ESCUMALHA DE GATUNOS QUE USA TODOS OS ESTRATAGEMAS PARA ROUBAR OS CONTRIBUINTES...!!!

ver mais comentários
pub