Política Fernando Negrão é candidato a líder parlamentar do PSD

Fernando Negrão é candidato a líder parlamentar do PSD

O ex-ministro já comunicou a Rui Rio a decisão de avançar para a direcção do grupo parlamentar na votação agendada para 22 de Fevereiro. O candidato a sucessor de Hugo Soares promete "uma forte vontade de inclusão".
Fernando Negrão é candidato a líder parlamentar do PSD
Miguel Baltazar
António Larguesa 15 de fevereiro de 2018 às 15:31

Fernando Negrão é o primeiro nome a avançar na corrida à liderança da bancada do PSD na Assembleia da República. O deputado eleito pelo círculo eleitoral de Braga já informou o novo líder do partido, Rui Rio, sobre a candidatura à sucessão de Hugo Soares.

 

Num e-mail enviado aos parlamentares social-democratas, citado pela Lusa, Negrão sublinha que apresenta esta candidatura às eleições, agendadas para 22 de Fevereiro, "com uma forte vontade de inclusão" dos diferentes deputados e equipas de coordenação no Parlamento, que foram escolhidos por Passos Coelho.

 

"Face à situação agora criada, o Grupo Parlamentar terá de avançar para a eleição de uma nova direcção, (…)por forma a regressar àquilo que os nossos companheiros por todo o país esperam de nós e que é, coesos e determinados, construirmos uma alternativa de futuro para o país. Devemos isso a todos, e são muitos, os que olham para o PSD e nele procuram uma alternativa ", lê-se nessa comunicação.

 

Adão Silva, Luís Campos Ferreira, Marques Guedes ou Duarte Pacheco são outros nomes que têm sido apontados como possíveis pretendentes ao cargo, que foi deixado vago há menos de 24 horas. Na quarta-feira, Hugo Soares anunciou que iria "devolver a palavra aos deputados para eleger uma nova direcção parlamentar", depois de Rio lhe ter manifestado o desejo de trabalhar com outra liderança de bancada.

 

A candidatura de Negrão, que foi ministro nos curtos governos de Santana Lopes (Segurança Social) e no segundo Executivo de Passos Coelho (Justiça), já era esperada desde a semana passada. Isto depois de na semana passada ter dito que estava pronto para assumir o lugar. "Se eu não estivesse preparado para ser líder parlamentar com nove anos de deputado, tenho a certeza que me passariam um atestado de imbecilidade", declarou.

 

Após a eleição de Rui Rio, que será entronizado no Congresso agendado para o próximo fim-de-semana, o antigo director-geral da Polícia Judiciária perfila-se para suceder a Hugo Soares, que tinha sido eleito em Julho de 2017 (76 votos favoráveis, 12 votos brancos e um nulo) e que tem protagonizado os debates parlamentares com António Costa desde o anúncio de demissão de Passos Coelho.

(notícia actualizada às 16:20 com mais informação. título alterado)




pub