Economia Ferreira Leite votava contra a alteração na TSU se fosse deputada

Ferreira Leite votava contra a alteração na TSU se fosse deputada

Ex-líder do PSD diz que os deputados que consideram a medida gravosa devem votar contra ou pedir a demissão.
Negócios 15 de Setembro de 2012 às 15:53
Ferreira Leite voltou a apelar aos deputados que estão contra a descida da TSU às empresas e a subida da contribuição social dos trabalhadores para a Segurança Social que votem contra esta medida no Parlamento.

Em entrevista ao “i” admitiu que era isso que faria se ainda fosse deputada no Parlamento.

“Se nós estivermos absolutamente convictos, como eu estou, de que esta medida vai agravar gravemente aquilo que é o nosso maior problema, que é o desemprego, eu acho que, se lá estivesse, ponderaria seriamente o que eu faria a esta medida em concreto, não pondo propriamente em causa o Orçamento”, explicou Ferreira Leite, afirmando que “votava contra ou, se não me deixassem, saía do parlamento”.

Por isso, recomenda que “todos os deputados que estiverem convencidos, como eu, de que a medida é gravosa, devem votar contra”.

Esta ideia já tinha sido deixada na entrevista da ex-ministra das Finanças à TVI24, em que tinha apelado aos deputados para não esperarem que fosse o Presidente da República a lhes lavar a consciência.

Na entrevista ao “i” Ferreira Leite concretiza, deixando claro que o apelo não é para os deputados votarem contra o Orçamento do Estado, mas sim contra a alteração da TSU, ou seja, na especialidade.

Ferreira Leite volta a atacar as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo, estimando que vão aumentar o desemprego.

Quanto ao papel do Presidente da República, Ferreira Leite acredita que Cavaco Silva “saberá, não tenho dúvidas, resolver o assunto ou, pelo menos, intervir de acordo com os poderes constitucionais que lhe são dados”.

“Não tenho dúvidas nenhumas de que o Presidente da República não renega nenhuma das responsabilidades que tem e não renega intervir em todas as situações em que deve intervir. É uma pessoa altamente responsável para não se eximir a situações dessa natureza. Agora, aquilo que eu acho é que não posso ficar tranquila, de braços cruzados, esperando que o Presidente da República resolva o meu problema. O meu problema começa por ser resolvido por mim”, reforçou.



A sua opinião84
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
joaopires5 17.09.2012

ESTA MANUELA FERREIRA LEITE TEM SIDO UM POÇO DE CONTRADIÇÕES! NÃO É PRECISO RECUAR MUITO..

surpreso 17.09.2012

Como ser consegue descer tão baixo ,na falta de ética e vergonha?

Lima 17.09.2012

Atenção porque o País está assim, tambem porque esta senhora e todos os dirigentes de Empresas publicas e muitos dos seus quadros dirigentes, andaram anos a receber prémios de mais dois e três ordenados por ano. Uma mulher a dias podia não perceber, mas um Economista, Professor e conhecedor do nosso quadro económico, deveria saber que isso era um roubo insustentavel. TODOS RECEBIAM CERCA DE 17 ordenados por ano. ( quando não era mais !!! ) e com que base ??

Lima 17.09.2012

Tudo o que diz é verdade, mas haja DECORO ! Deveria ter pedido uma audiência ao Primeiro-Ministro e ao Gaspar para lhes dizer o que pensa e só depois sair á Praça Pública. Faz parte do SISTEMA e apesar de ter razão, fica-lhe mal.

ver mais comentários
pub