IRS Finanças acabam com entrega de IRS em papel
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
IRS

Finanças acabam com entrega de IRS em papel

Este ano, todos os contribuintes vão ser obrigados a entregar o seu IRS por via electrónica. Quem não tiver acesso à internet nem facilidades na utilização de ferramentas informáticas, tem de pagar a um contabilista ou pedir ajuda.
Finanças acabam com entrega de IRS em papel
Miguel Baltazar
Elisabete Miranda 03 de janeiro de 2018 às 23:30

As Finanças acabaram com a possibilidade de entrega do IRS em papel, obrigando todos os contribuinte, sem excepção, a munirem-se de uma senha e a enviarem as suas declarações de rendimentos por via electrónica.)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião22
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 04.01.2018

Sejamos sérios. Queremos números de excedentários despedidos. Hoje em dia, reformas destas não se fazem sem substituir factor trabalho por factor capital e sem reduzir a quantidade líquida de factor trabalho alocado e aumentar a quantidade líquida de factor capital alocado. É dos livros, é dos mercados, é da vida. Nos territórios mais ricos e desenvolvidos estas coisas andam sempre aliadas a reestruturações profundas com recurso a despedimentos. Seja numa universidade escandinava, numa multinacional alemã, numa companhia das águas irlandesa, numa autarquia escocesa, num ministério inglês, numa empresa ferroviária suíça ou numa repartição de finanças australiana. É aí que se poupa e cria valor que irá extravasar por toda a economia e sociedade elevando-as para outro patamar de forma sustentável e impedindo a sua queda para o precipício da iniquidade e insustentabilidade a que chamam crise, empobrecimento e falta de soberania.

comentários mais recentes
Anónimo 02.04.2018

Mais uma medida sem alternativa e própria de estados autoritários em que a democracia é um simulacro.

Menoli 04.01.2018

ISTO É UM E S C Â N D A L O. Aquela pobre gente, viúvas/os na província que nem sabem o que é um computador e alguns que nem sabem ler e escrever, com 80 e mais anos e com reformas da treta que quase nem dinheiro para pagar o lar têm, ainda têm que ir á procura dum contabilista ( o que é isso de contabilista? hão-de alguns perguntar) para lhes sacarem alguns trocos. Este país é uma vergonha. Qualquer dia são todos doutores alimentados por quem trabalha no duro ( os mais velhos).

Bernardo 04.01.2018

Por alguma razão, ou mais do que uma, as finanças são consideradas em todo o mundo como as maiores filhas da p*ta que existem.

José Júlio da Costa-Pereura 04.01.2018

Um Estado implementado num regime dito democrático,que sistemáticamente, toma atitudes prepotentes para com os seus cidadãos,configura-se como uma ditadura do tipo América Central,com as caracteristicas dum grupo de República das Bananas...assim não vamos longe.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
Saber mais e Alertas
pub