Conjuntura Finanças: "desafios identificados pelas instituições europeias são partilhados pelo Governo"

Finanças: "desafios identificados pelas instituições europeias são partilhados pelo Governo"

Em reacção ao comunicado da Comissão Europeia e do BCE, o Governo diz concordar com os desafios identificados pelas duas instituições na área da competitividade e das qualificações, tendo apresentado medidas no PNR para os corrigir.
Finanças: "desafios identificados pelas instituições europeias são partilhados pelo Governo"
Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Aguiar 05 de julho de 2017 às 18:55
Alguns minutos depois de a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu (BCE) terem publicado o comunicado relativo à sexta avaliação pós-programa de Portugal, o Ministério das Finanças emitiu uma nota sobre a mesma. Sem nunca referir os alertas deixados pelas duas instituições em relação às contas públicas, o Governo concentra-se nas medidas de estímulo ao crescimento, argumentando que está alinhado com Bruxelas e Frankfurt neste capítulo.

"Os desafios identificados pelas instituições europeias nas áreas das qualificações e da competitividade da economia são partilhados pelo Governo e estão reflectidos no Programa Nacional de Reformas (PNR). Tal como referido pela Comissão, a plena implementação do PNR contribuirá para reforçar o padrão de crescimento da economia portuguesa, assente na competitividade externa e no fomento de condições que reforcem a criação de oportunidades para todos os cidadãos", pode ler-se no comunicado das Finanças.

No mesmo documento, o ministério liderado por Mário Centeno sublinha que a missão europeia atestou "a robustez do crescimento da economia portuguesa", notando a força das exportações e do investimento privado, assim como a recuperação do mercado de trabalho. "Estes resultados assentam na mudança estrutural em curso, que coloca Portugal na melhor posição para crescer de forma sustentada e inclusiva desde que aderiu ao Euro", acrescenta.

Além disso, o Executivo refere ainda que a estabilização do sistema bancário tem sido "uma prioridade do Governo" e que a missão da CE e do BCE também "saúda" esses esforços.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub