Impostos Fisco inspecciona mais de 6 mil cabeleireiros em operação "Beleza Nacional"

Fisco inspecciona mais de 6 mil cabeleireiros em operação "Beleza Nacional"

O Fisco inspeccionou mais de 6.000 cabeleireiros em todo o país, tendo instaurado cerca de 400 autos de notícia devido, por exemplo, a não emissão de factura por estes estabelecimentos cujas despesas permitem um benefício fiscal aos consumidores.
Fisco inspecciona mais de 6 mil cabeleireiros em operação "Beleza Nacional"
Lusa 29 de maio de 2017 às 18:31

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) deu hoje conta da realização de uma acção inspectiva a nível nacional, que ocorreu no dia 25 de maio e que "incidiu essencialmente sobre os cabeleireiros e institutos de beleza", sectores que permitem a dedução em sede de IRS de 15% do IVA suportado até um limite de 250 euros por agregado familiar.

 

Nesta acção do Fisco, denominada "Beleza Nacional" e que envolveu cerca de 1.100 inspectores da AT, foram controlados mais de 6.000 estabelecimentos comerciais e instaurados cerca de 400 autos de notícia sobretudo devido a situações de "não emissão de factura", de "não observância dos requisitos formais dos documentos emitidos" e de "não utilização do Programa de Faturação Certificado".

 

A AT informa que "estes sujeitos passivos serão objecto de um rigoroso acompanhamento do seu comportamento declarativo" e acrescenta que se prevê "a realização de procedimentos inspetivos subsequentes nos casos em que forem detectados elevados riscos de incumprimento".

 

O Fisco refere que "esta é apenas uma de muitas acções que vêm sendo desenvolvidas" no âmbito do combate à fraude e evasão fiscais e que estão "em curso e já programadas" outras acções no mesmo âmbito "orientadas para diversos sectores de actividade".

 

Além dos cabeleireiros e institutos de beleza, há ainda outros sectores que permitem deduzir em sede de IRS de 15% do IVA das despesas suportadas até um máximo de 250 euros por agregado: é o caso da manutenção e reparação de veículos automóveis e de motociclos, do alojamento e restauração (a menos que a factura tenha sido considerada como despesa de educação) e das actividades veterinárias.

 

Também as despesas com passes mensais de transportes dão direito a benefício fiscal mas, neste caso, é possível deduzir em IRS a totalidade do IVA suportado.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
KANKAN!! 29.05.2017

Na zona de Almada, sao aos magotes e raros sao os que passam facturas. O que está á espera o Fisco para vir aqui dar uma olhadela, ou estará só a querer meter medo??E se fossem só estes isto estava muito bem, só que ...........!!

portulord 29.05.2017

cabeleireiro ou barbeiro é a mesma coisa ? é que ainda hoje lá fui levaram-me 8 euros e nem sequer me perguntaram se queria ao não factura,nem sequer vejo lá maquina registradora ,ou só foram ver os grandes cabeleireiros e deixaram de fora os pequenos

Anónimo 29.05.2017

Para um sector em que a fuga é generalizada, pode dizer-se que a pesca é, simplesmente, ridícula.

Camponio da beira 29.05.2017

Apertem com eles, não vão enriquecer e depois telefonar ao nuncio para desligar o sistema e colocar uns milhões em offshore.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub