Impostos Fisco lança raide sobre peixarias, frutarias e mercearias

Fisco lança raide sobre peixarias, frutarias e mercearias

A Autoridade Tributária e Aduaneira realizou uma acção de fiscalização em estabelecimentos que comercializam produtos perecíveis. Foram levantados 920 autos de notícia a empresas que agora vão ter acompanhamento mais apertado do Fisco.
Fisco lança raide sobre peixarias, frutarias e mercearias
Miguel Baltazar/Negócios
Filomena Lança 02 de outubro de 2017 às 11:32

Talhos, peixarias, frutarias, floristas e mercearias. Foram estes os alvos do Fisco que, na semana passada, lançou a operação Acção Deterioração Fácil, uma acção a nível nacional dirigida a estabelecimentos que comercializam produtos perecíveis. O objectivo, além de controlar operações de facturação, foi também verificar os documentos de aquisição dos produtos em causa.

 

Foram detectados 920 casos de incumprimento e levantados os respectivos autos de notícia. Entre os problemas encontrados pelos inspectores estão a falta de emissão de factura; não observância dos requisitos formais dos documentos emitidos; não utilização de programa de facturação certificado e não exibição de documentos de transporte ou de aquisição.

 

A acção foi realizada na passada semana pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), através da Inspecção Tributária e Aduaneira, e levou ao controle de 4.600 estabelecimentos,  e colocou no terreno 520 inspectores, de acordo com um comunicado emitido pelo Ministério das Finanças.

 

Os estabelecimentos agora apanhados em falta vão agora continuar a se objecto de "um rigoroso acompanhamento do seu comportamento declarativo", sublinha o Ministério das Finanças. Está prevista, aliás, a realização de novas inspecções "nos casos em que que forem detectados elevados riscos de incumprimento".

 

O fisco promete continuar a mesma linha de actuação e avança que está programado um conjunto de outras acções no mesmo âmbito, orientadas para diversos sectores de actividade, que não são identificados. 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

DEVIAM FAZER FISCALIZACOES EM MERCADOS MUNICIPAIS E FEIRAS TAMBÉM, O REGABOFE É TOTAL. FESTAS MEDIEVAIS NEM UMA FACTURA SE PASSA.

xras45 Há 3 semanas

Existem donos de peixarias em Gaia - Aguda com Porches e afins.... Peixe a27/30€ o kilo... sem facturinha. Ainda te ofendem se pedes.

Anónimo Há 3 semanas

A treta dos grandes e pequenos é um pretexto para os que se intitulam de pequenos se safarem da chico-espertice. Se forem sérios sabem que o trabalho é feito contra grandes e pequenos. Hoje em dia não faltam casos de grandes apanhados e a contas com a justiça, mas fazem de conta que não. Latinice.

??? Há 3 semanas

E os ciganos que vendem em feiras e na rua? Também vão ser fiscalizados, ou continuam a ser apenas contados para receberem Rmi, casa social, isenção de taxas moderadoras mas ignorados quando se trata de cumprir as leis do país? Não terão eles, também, que ser fiscalizados?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub