Conjuntura Fitch avisa: estímulos à economia chinesa são insustentáveis e criam riscos

Fitch avisa: estímulos à economia chinesa são insustentáveis e criam riscos

A agência de notação considera que os estímulos induzidos na economia chinesa são insustentáveis e criam riscos de instabilidade.
Fitch avisa: estímulos à economia chinesa são insustentáveis e criam riscos
Reuters
Negócios 23 de janeiro de 2017 às 10:00

De acordo com uma análise feita pela agência norte-americana de notação financeira Fitch, os programas de estímulo económico prosseguidos pela China propiciaram o crescimento da segunda maior economia mundial, porém também estão a criar riscos de instabilidade.

 

De acordo com a nota divulgada esta segunda-feira, 23 de Janeiro, e citada pela CNBC, a Ficth considera que o crescimento do PIB de 6,7% em 2016 deveu-se às medidas de estímulo económico e não a uma capacidade sustentável da economia chinesa.

 

"O crescimento estável da China reflecte os estímulos [implementados] e não uma sustentabilidade", escreve a Fitch que considera que estes programas de apoio ao crescimento são insustentáveis.

 

"As políticas de estímulo tiveram sucesso em manter o crescimento dentro das metas oficiais, mas isso aconteceu sob o custo de alavancagem adicional", diz ainda a agência de notação sublinhando a pouco atenção dada a "algumas áreas de reformas estruturais", apontando o exemplo do escasso esforço para reduzir a dependência da economia em relação ao investimento de crédito intensivo.

 

A Fitch sustenta também que o esforço para manter níveis de crescimento dentro dos objectivos estabelecidos pelas autoridades chinesas tornou-se num "risco mais significativo" para a estabilidade da economia.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar