Educação FMI admite dispensa de 50 mil entre professores e pessoal auxiliar
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

FMI admite dispensa de 50 mil entre professores e pessoal auxiliar

Professores são vistos pelo FMI como um grupo "relativamente privilegiado". Fundo defende mobilidade especial.
FMI admite dispensa de 50 mil entre professores e pessoal auxiliar
Marlene Carriço 09 de janeiro de 2013 às 07:00

A educação tem pessoal a mais. A afirmação é repetida várias vezes pelos peritos do Fundo Monetário Internacional (FMI) ao longo de um documento em que apresentam ao Governo propostas para cortar

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião21
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Pimba! 09.01.2013

Parece-me bem... O Relvas é o melhor exemplo de que não são precisos tantos professores para conseguir uma licenciatura...

comentários mais recentes
CAVACO 11.01.2013

Na verdade para ser primeiro ministro nem fazem falta os professores. Este só terminou o curso ao 37 anos. Acabem com as universidades!!! Basta ligar a Pretória o computador e fazer o curso a distância na Universidade de África do SUL!

azevedos 11.01.2013

Maria. Eras mesmo má profissional. Também os há na classe docente. E trabalhaste na docência durante 33 anos? Que vergonha. Que pena dos alunos. Em que escola(s) estiveste a trabalhar? Era bom sabermos isso.Não queres tapar o sol com a peneira? És a vegonha dos professores. Vou dar-te um conselho: Por favor suicida-te! Fazes um grande favor à sociedade e a ti própria. Obrigado.

maria 10.01.2013

Fui prof. durante 33 anos e por isso sei do que falo...não vale a pena tapar o sol com a peneira,apesar dos alunos (raramente são 30), dos testes para corrigir e lições para preparar,os profs têm mais tempo livre que os outros profissionais ,porque 50% deles trabalha na escola 4 dias úteis,ficando um dia por semana em casa.Não brinquem,está bem ?

Anónimo 09.01.2013

Portugal está a saque destes camelos do FMI! Acabem com as forças da ordem e o exercito, acabem com os professores, acabem com o setotr privado, acabem com os portugueses. Escravatura já! Este será o período mais negro da nação, nem 60 anos de domínio filipino foi tão esmagador! Acordai!!!!

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub