Ajuda Externa FMI aponta baterias a forças militares e polícias portugueses
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

FMI aponta baterias a forças militares e polícias portugueses

Relatório conclui que são muitos e têm regalias excessivas. Propõe a integração do seu subsistema de saúde no SNS
FMI aponta baterias a forças militares e polícias portugueses
Nuno Aguiar 09 de janeiro de 2013 às 07:00

Polícias e militares estão entre os mais visadas pelos cortes sugeridos pelo FMI ao governo português, no sentido de reduzir o peso do Estado na economia. Os técnicos do Fundo apontam que Portugal tem um número

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião30
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado joao 09.01.2013

tambem acho portugal tem militares a mais , sargentos e oficiais

comentários mais recentes
Anónimo 26.02.2013

caros concidadãos, referente ao assunto em titulo, depois de dar uma volta pelos comentários existentes, fico estarrecido com tanta imaginação aqui descrita, cranios que puderiam ser aproveitados para o bem comum, em abono da verdade autenticos parasitas e chulos do estado, na eventualidade a receberem SIS, sem nunca contribuirem com um centavo para impostos aos quais somos todos obrigados, porventura e viverem em casas do erario publico, filhos na escola sem pagarem um chavo em livros e na saude gozam do previlégio de nada pagarem porque declaram ordenados abaixo dos 500€. Indo directo ao assunto sou a favor da extinção de todos oa militares e forças policiais, porque o nosso Paíz, é um Paíz calmo, sem criminalidade, com gente culta e educada que mais parecem anjinhos apenas faltando o arquinho iluminado sobre as suas cabeças, gente seria e honrada com optimas referencias exemplares capazes de serviren de exemplo para qualquer cidadão menos honrado. Lamento que se pense dessa forma, mas não era agora que essas medidads devereiam ter sido postas em pratica mas sim aquando da revolução popular à qual chamam de 25 de Abril.

xavier 15.01.2013

Para que queremos tantos GNR e tantos PSP ?

Anónimo 13.01.2013

Concordo plenamente com a Troika na questão dos Militares, para que servem? Para sugar recursos aos contribuintes, nada fazem, ficam a coçar a pele o dia inteiro nos quartéis, a brincar às guerras em exercícios que só gastam dinheiro ao erário público, e ao fim do mês tem um chorudo ordenado, assim vale a pena. Quanto aos Polícias a conversa é outra, e porque ? Simples, defendem-nos da escumalha, quando precisamos quem chama-mos? Mas a Troika ainda tem o descaramento de dizer que os Polícias tem muitos benefícios? ganhar 800€ para arriscar a vida todos os dias parece-me um ordenado de Lord: Trabalhar fins de semana, feriados e dias Santos sem receber mais por isso parece-me Principesco. Não progredir nas carreiras a anos a fio parece-me justo. Tenham vergonha quando falam dos Policias, que arriscam a suas vidas sem que para isso tenham um ordenado digno.

Anónimo 11.01.2013

Estou absolutamente de acordo com o FMI quando este aponta baterias a forças militares e polícias portugueses, que nao só estao excepcional mente bem pagos como ainda usufruem regalias que deveriam ser iguais para todos. Temos oficiais, sargentos e praças a mais, temos polí cia a mais, todos bem pagos para protegerem corruptos, políticos incom petentes que elaboram leis que anulam o trabalho da dita polícia, condu zindo-a nao só ao desânimo como ainda a depressoes que levam alguns dos seus elementos ao suicídio. Já quanto às forças armadas, que com muita honra servi, elas sao excelentes para engrossarem a lista dos invá lidos de guerra com pensao mensal de 2.50 escudos nos anos sessenta ou darem a vida em defesa dos supremos interesses da Pátria ou da cas ta do Poder. Sem exército, sem Polícia, sem guarda-costas de políticos incompetentes, quem desejaria ser Poder em Portugal ? Nao seria esta a melhor soluçao para acabar com o parasitismo Luso ?

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub