Américas FMI dá seis meses à Venezuela para facultar estatísticas sobre economia

FMI dá seis meses à Venezuela para facultar estatísticas sobre economia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) deu na sexta-feira seis meses à Venezuela para facultar estatísticas sobre a sua economia.
FMI dá seis meses à Venezuela para facultar estatísticas sobre economia
Reuters
Lusa 04 de novembro de 2017 às 10:57

O prazo foi concedido pelo directório executivo do FMI, após uma reunião realizada na sequência do incumprimento por parte da Venezuela do prazo estipulado no regulamento daquele organismo.

Segundo o FMI, a Venezuela não entregou atempadamente os dados sobre as operações do Instituto de Segurança Social, sobre as exportações e importações totais de mercadorias, expressando o seu valor na moeda local (bolívares) por países de destino e de origem.


"O directório executivo aprovou uma decisão que considera que a Venezuela não cumpriu com a sua obrigação", diz um comunicado publicado no 'site' do FMI.


De acordo com o FMI, "proporcionar estes dados, além de outros indicadores económicos-chave, é uma obrigação de todos os membros do Fundo, para permitir a monitorização efectiva da evolução macroeconómica em cada país, assim como os efeitos desse país noutros países".


"O directório executivo instou a Venezuela a adoptar medidas correctivas específicas e reunir-se-á novamente, daqui a seis meses, para considerar o avanço da Venezuela na sua implementação", explica o mesmo comunicado do organismo internacional.


Com efeito, o FMI "mantém a esperança de que a decisão alente as autoridades venezuelanas a voltarem a comprometer-se com o Fundo mediante a provisão de dados oportuna e regular e a reassunção de consultas".


"A retoma do dito compromisso beneficiaria a Venezuela e a comunidade internacional", conclui o FMI na mesma nota.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub