Educação FMI sugere delegação de competências de ensino nos privados
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

FMI sugere delegação de competências de ensino nos privados

O Fundo Monetário Internacional (FMI) não poupa críticas ao sistema de educação português e lança o mote ao Governo: é preciso "fazer mais com menos". Para isso, o Estado deve reduzir o seu papel de prestador de serviços de educação e delegar mais nos privados.
FMI sugere delegação de competências de ensino nos privados
Marlene Carriço 09 de janeiro de 2013 às 07:00

E porquê? Os resultados estão à vista, dizem os peritos do FMI. No "ranking" das 50 melhores escolas apenas duas são públicas – um resultado que, segundo muitos especialistas, estará fortemente relacionado

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Charlie 09.01.2013

Vejam as escolas que estão no topo dos rankings. Colégios privados da classe alta, alguns deles com turmas reduzidas, como é o caso dos católicos. Gostaria de ver os privados a tomarem conta de escolas em bairros problemáticos se subiam os resultados. Isto é fazer análises sem ter em conta o contexto onde eles são produzidos...

comentários mais recentes
Anónimo 09.01.2013

Acabe-se com as escolas e as famílias que eduquem os seus filhos! Depois é fácil instruí-los. Basta mandá-los para a AR e em menos de uma semana estarão doutorados em Política! Sírão às paletes, sem custos de maior ao Estado e serão todos levados pelo FMI que lhes dará trabalho: Arruinar economias e eliminar países. Fácil! Está resolvido o problema da educação em Portugal!

dis aliter visum 09.01.2013

Leiam AAA 14:22 pois é de quem conhece bem o ensino luso: "o acesso ao ensino superior deveria ser feito só com nota de Exame Nacional (...) Defendo exames às duas fases e conta a melhor nota das duas para acesso tal como nas universidades em exames de cadeiras , isto excluí qualquer azar ou nervosismo no exame pois tem 2ª hipótese e acaba com favoritismos." Absolutamente de acordo com estas propostas!

Anónimo 09.01.2013

Já agora não se esqueçam da grande qualidade das universidades que dão licenciaturas ao domingo ou faça uma licenciatura de 3 anos em 1 ano! Isto sim é qualidade e "fazer mais com menos". Essas é que contribuem para um ranking de excelência do ensino privado. Paga menos e tenha mais!... Ah! Não se esqueçam inscrevam os vossos filhos nas Escolas das Jotas (qualquer uma serve. São todas de excelência). Assim, não só garantem a qualidade do ensino, como também, o emprego! Basta consultar as páginas da internet das referidas escola para conferirem o alto índice de empregabilidade dos seus formandos. A título de exemplo vejam-se os novos "especialistas" recentemente contratados pelo (des)governo...

Anónimo 09.01.2013

Quanto maior a ignorância melhor estou! Assim pensam os senhores do FMI (Fome Miséria Intrujice) que desse modo escusam de se preocupar com a massa critica que uma sociedade culta possui!...

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub